quarta-feira, junho 14, 2017

Prova Online

FUNDAMENTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS DO ENSINO DE GEOGRAFIA

1. Entre as festas populares brasileiras que mais se destacam, pela sua magnitude e abrangência nacional, podemos citar o


  •  Maracatu.
  •  Carnaval. ( CORRETA)
  •  Fandango.
  •  Baile Religioso.

2. Indique a alternativa que apresenta os principais conteúdos trabalhados no tema transversal "Ética e pluralidade cultural", segundo o PCNs.


  •  Bondade, generosidade e submissão.
  •  Temor servil, civismo e força.
  •  Respeito mútuo, justiça, diálogo e solidariedade. (CORRETA)
  •  Nacionalismo, individualismo e respeito mútuo.

3. Assinale a alternativa mais adequada sobre a representação do espaço escolar.


  •  Permite o desenvolvimento de uma noção espacial sobre a sala de aula.
  •  Permite uma referência básica sobre o lugar onde moram.
  •  Permite noções espaciais sobre a sala de aula e dependências da escola. (CORRETA)
  •  O espaço escolar é o local onde o professor expõe o conteúdo.

4. Assinale a alternativa que indica a divisão do Brasil em regiões geoeconômicas.


  •  Amazônia, Centro-Sul e Nordeste. (CORRETA)
  •  Amazônia, Pantanal e Cerrado.
  •  Sudeste, Nordeste e Norte.
  •  Centro-Oeste, Meio-Norte e Nordeste.

sexta-feira, junho 09, 2017

Psicogênese da Linguagem Oral e Escrita: Letramento e Inclusão

REPOSTAS CORRETAS ESTÃO MARCADAS EM VERDE!

PSICOGÊNESE DAS LINGUAGENS ORAL E ESCRITA: LETRAMENTO E INCLUSÃO
Abaixo estão as questões e as alternativas que você selecionou:
QUESTÃO 1
Analise as afirmações abaixo.
I. A abordagem inatista tem como um de seus principais representantes Chomsky.
II. A abordagem cognitivista tem como um de seus principais representantes Piaget.
III. A abordagem sociointeracionista tem como um de seus principais representantes Vygotsky.
IV. A abordagem comportamentalista tem como um de seus principais representantes Skinner.
De acordo com as afirmativas acima, assinale a alternativa correta.

a )
Todas as afirmativas estão corretas.
b )
Apenas as afirmativas I, II e III estão corretas.Todas as afirmativas estão corretas.
c )
Apenas as afirmativas II, III e IV estão corretas.
d )
Apenas as afirmativas I e IV estão corretas.
QUESTÃO 2
Com base nos postulados de Bakhtin, o que faz das linguagens oral e escrita um jogo dialógico?

a )
O fato dos sujeitos no diálogo sempre assumirem posições que impliquem em ganhos e perdas.
b )
O fato das manifestações dos sujeitos sempre dependerem de um emissor, de um receptor e de uma mensagem.

c )
O fato de sempre terem dois sujeitos participando dos diálogos.
d )
O fato de nossas manifestações se dirigirem a um outro sujeito e estarem sempre sujeitas à atribuição de respostas e, portanto, à atribuição de significados.
QUESTÃO 3
Propostas e formas de intervenção direcionadas à superação das dificuldades de produção textual pelas crianças devem garantir

I. que o educador não tenha preconceito em relação aos tipos de textos e trabalhe com vários materiais escritos.
II. práticas de escrita e leitura que tenham função social, para além da avaliação escolar.
III. a possibilidade de reestruturação do texto.
IV. que o educador trabalhe apenas textos acadêmicos, didáticos e escolares.
Assinale a alternativa correta.

a )
Todas as afirmativas estão corretas.
b )
Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
c )
Apenas as afirmativas I e III estão corretas.
d )
Apenas as afirmativas II e III estão corretas.
QUESTÃO 4
Os principais modelos teóricos que buscam explicar os processos de aquisição da linguagem são:

a )
construtivismo e comportamentalismo.
b )
inatismo e sociointeracionismo.
c )
sociointeracionismo e construtivismo.
d )
inatismo, sociointeracionismo, construtivismo e comportamentalismo.
QUESTÃO 5
Partindo do pressuposto de que a linguagem comporta dimensões socioculturais e políticas, a norma linguística é concebida como

a )
fruto de uma construção histórica e, portanto, não é fixa nem linguisticamente superior.
b )
um sistema fixo e, portanto, imutável.
c )
gramaticalmente superior e linguisticamente correta.
d )
fixa e linguisticamente superior.
QUESTÃO 6
A partir do pressuposto de que os critérios de segmentação da fala, ou seja, a interrupção da cadeia fônica são diversos dos critérios de segmentação da escrita, analise as afirmações abaixo.
I. Crianças em processo de aquisição da escrita, quando produzem textos sem nenhuma ou com segmentações indevidas, podem estar trabalhando com a hipótese de que o que percebem como um fluxo contínuo de fala deve, como tal, ser representado na escrita.
II. Hipóteses formuladas em relação aos aspectos segmentais da escrita, presentes nas produções infantis, podem ser diagnosticadas equivocadamente como sinais de distúrbios de fluência oral e escrita, de percepção auditiva e visual, de atenção, de memória, pois parte-se da concepção de que existe uma relação direta entre oralidade e escrita.
III. Crianças em processo de aquisição da escrita, quando produzem textos sem nenhuma ou com segmentações indevidas, apresentam distúrbios de fluência oral e escrita que as impedem de perceber que o fluxo contínuo de fala não deve ser representado na escrita.
IV. Hipóteses formuladas em relação aos aspectos segmentais da escrita, presentes nas produções infantis, devem ser diagnosticadas como sinais de distúrbios de percepção auditiva e visual, de atenção e de memória.
De acordo com as afirmativas acima, assinale a alternativa correta.

a )
As afirmativas I, III e IV estão corretas.
b )
Apenas as afirmativas II e IV estão corretas.
c )
Apenas as afirmativas I e II estão corretas.
d )
As afirmativas I, II e III estão corretas.
QUESTÃO 7
O conceito de letramento passou a ser incorporado por educadores brasileiros visando

a )
reforçar as abordagens que priorizam atividades educacionais centradas na transmissão das regras gramaticais.

b )
reforçar as abordagens que priorizam atividades educacionais centradas na repetição e cópia.
c )
questionar abordagens que concebem a leitura e a escrita como ato de associar sons e letras.
d )
questionar abordagens que restringem a leitura e a escrita ao ato de codificar e decodificar a escrita.
QUESTÃO 8
A constatação da gagueira em crianças não deve ser indicativo de que estamos diante de um quadro patológico. Por quê?
I. O ato de gaguejar pode representar um recurso necessário para a organização do discurso.
II. Pode representar falta de atenção e não problema de fala.
III. Pode ser causado por problema de audição.
Conforme as afirmações, assinale a alternativa correta.

a )
Todas as afirmativas estão corretas.
b )
Apenas a afirmativa II está correta.
c )
Apenas a afirmativa I está correta.
d )
Apenas as afirmativas II e III estão corretas.
QUESTÃO 9
Conceber a linguagem como instrumento de comunicação implica em considerar que ela se processa a partir de um mecanismo que envolve

a )
mensagem, receptor e código.
b )
emissor e código.
c )
emissor e receptor.
d )
emissor, mensagem, receptor e código.
QUESTÃO 10
Todos os cidadãos deveriam ter acesso à variedade linguística padrão por
I. permitir acesso a diferentes textos orais e escritos.
II. permitir acesso ao conhecimento acadêmico e maior possibilidade de sucesso escolar.
III. permitir maior possibilidade de sucesso em concursos e em entrevistas, ou seja, em processos de avaliação.
IV. ser a forma correta e estilisticamente perfeita.
De acordo com as afirmativas acima, assinale a alternativa correta.

a )
Apenas as afirmativas I, II e III estão corretas.

b )
Apenas as afirmativas II, III e IV estão corretas.

c )
Apenas as afirmativas I, II, III e IV estão corretas.
d )
Apenas as afirmativas I, III e IV estão corretas.

Inspirações mês de junho!.

Decorar a sala de aula para Festa Junina

Fonte: internet
Uma das dicas de decoração de festa junina para sala de aula são as bandeirinhas, que podem ser feitas entre os alunos com o uso de folhas de papel de seda, sulfite ou materiais reciclados, como jornal ou revistas.
Decorar sala de aula para Festa Junina 011
A montagem de cartazes é outra atividade que vai proporcionar aos alunos uma divertida tarefa de decorar a sala de aula para as festas juninas, e podem ser feitos com o uso de vários materiais, como: cartolina, EVA, papel crepom, material reciclável e muito mais.
Decorar sala de aula para Festa Junina 001
Atividades que exercitem o lado artístico dos alunos é outra dica que vai ajudar na decoração de festa junina em sala de aula, e é ideal para que as crianças desenvolvam sua criatividade e originalidade.
Decorar sala de aula para Festa Junina 014
Outros itens, como chapéus de palha, enfeites regionais, bonecos de pano, etc., também ajudam a montar a decoração da festa junina dentro da sala de aula, e serão muito aceitos por alunos de várias idades.
Decorar sala de aula para Festa Junina 002
E o legal é que a decoração pode ser estendida para além da sala de aula, e com isso toda escola vai ganhar um visual ideal para festa junina, principalmente em escolas que fazem atividades durante o mês de junho.
Decorar sala de aula para Festa Junina 010
Com isso não só a sala de aula ficará decorada para festa junina, mas também toda escola vai ser muito mais divertida para toda criançada.

Festa junina com material reciclável para fazer em sala de aula

E abaixo vocês conferem mais algumas imagens que mostrar a decoração de salas de aula, e também da escola para celebração da festa junina:
enfeites festa junina
As crianças vão adorar essa caixinha!
enfeites festa junina 1
Aqui foi utilizado para fazer a carinha da moça um prato descartável de papel.
enfeites festa junina 2
Aqui temos uma garrafa pet, com papel crepom amarelo, imitando um milho
enfeites festa junina 3
Flores de papel crepom, ficam lindas para enfeitar a sala de aula
enfeites festa junina 4
enfeites 7
enfeites 8
enfeites 9
enfeites 10
enfeites
enfeites 11
enfeites 12
enfeites 12
enfeites festa junina 5
enfeites festa junina 6
Decorar sala de aula para Festa Junina 005
Decorar sala de aula para Festa Junina 008
Decorar sala de aula para Festa Junina 006
Decorar sala de aula para Festa Junina 003
Decorar sala de aula para Festa Junina 004
Decorar sala de aula para Festa Junina 015
Decorar sala de aula para Festa Junina 009
Decorar sala de aula para Festa Junina 013
enfeite 13
sacolinha festa junina
sacolinha
Sacolinha festa junina
Decorar sala de aula para Festa Junina 012
Decorar sala de aula para Festa Junina 007
Decorar sala de aula para Festa Junina 016

Resultado de imagem para decoração junina sala de aula na sala de aula

Resultado de imagem para decoração junina sala de aula na sala de aula

sexta-feira, junho 02, 2017

A Importância do Lúdico na Educação Infantil.

A Importância do Lúdico na Educação Infantil.

A IMPORTÂNCIA DO LÚDICO NA EDUCAÇÃO INFANTIL.

PORANGABA, Fábio Araújo
PORANGABA, Sandra de Souza Menezes
MENESES, Silvane de Souza

RESUMO:
        Este artigo tem como o objetivo discutir a importância do lúdico na educação infantil. Estas atividades ajudam na construção do conhecimento, podem ser entendidos como situações em que as crianças possam demonstrar seus diferentes tipos de sentimentos, podendo aos poucos aceitar a existência do outro. São as brincadeiras que tende de melhorar convívio entre as crianças, fazendo com que vivam situações de colaboração, trabalho em equipes e respeito. É preciso também conceituar o papel do educador nesse processo lúdico e ainda os benefícios que o brincar proporciona. Dessa forma, espera-se oferecer uma leitura mais consciente acerca da importância do brincar na vida da criança.
Palavras-chave: Educação Infantil, criança, educador, atividades lúdicas nas escolas de educação infantil.

INTRODUÇÃO:
        Nossa inquietação está relacionada em verificar como as atividades lúdicas influenciam no desenvolvimento e na aprendizagem dos alunos da Educação Infantil. As brincadeiras e os jogos são essência da influência e seu uso permite um trabalho pedagógico que possibilita a produção de conhecimento de forma contextualizada no mundo infantil.
        As atividades lúdicas se trabalhadas corretamente, proporcionam condições adequadas ao desenvolvimento físico, motor, emocional cognitivo e social. São lúdicas as atividades que propiciam as experiências completa do momento, associando o ato, pensamento e o sentimento. A criança se expressa assimila conhecimentos e constrói sua realidade quando esta praticando alguma atividade lúdica. Segundo SCHWARTZ (2002), a criança é automotiva para qualquer prática, principalmente a lúdica, sendo que tendem notar a importância de atividades lúdicas para seu desenvolvimento, assim sendo, favorece a procurar pelo retorno e pela manutenção de determinadas atividades.
        Para SCHAEFER (1994), as atividades lúdicas promovem ou restabelecem o bem estar psicológico da criança.
        As atividades lúdicas são fundamentais na formação das crianças, e verdadeiras facilitadora dos relacionamentos e das vivências no contexto escolar. Pois a mesma promove a imaginação e, principalmente, as transformações de sujeito em relação ao seu objeto de aprendizagem.

DESENVOLVIMENTO:
“A CRIANÇA O LÚDICO”
       Crianças pequenas experimentam desejos impossíveis de ser realizada imediatamente e, para resolver essa tensão, a criança envolve-se num mundo imaginação em ação (Minestrina, 2006).  Nesse sentido, a criança tem um desenvolvimento psicológico e cultural que se refere ao psíquico. Isso significa que a criança se constitui como um indivíduo de personalidade própria e como integrante de um grupo.
        Do ponto de vista filosófica a brincar é abordado como um mecanismo para contrapor a racionalidade.
        Em relação ao psicológico, o brincar está presente em todo desenvolvimento da criança nas diferentes formas de modificação de seu comportamento. Do ponto de vista sociológica, o brincar tem sido visto como uma forma mais pura de inserção das crianças na sociedade; brincando a criança assimila crenças, costumes, regras, hábitos do meio em que vive. Em relação ao pedagógico, o brincar tem se revelado como uma estratégia poderosa, para a criança aprender desenvolvendo suas habilidades. (Falcão, 2002). As atividades lúdicas fazem com que as crianças aprendem com prazer, alegria e sendo relevante ressaltar que a educação lúdica está diante da concepção única de passatempo e diversão. A educação lúdica é uma ação inerente na criança e aparece sempre como uma única forma transicional, em direção a algum conhecimento. O brincar se torna cada vez mais importante na construção do conhecimento, oportunizando prazer enquanto incorporar as informações e transforma as situações da vida real (Falcão, 2002).
O PROFESSOR DA EDUCAÇÃO INFANTIL
        Segundo Severino (1991) os profissionais das escolas infantis precisam manter um comportamento ético para com as crianças, não permitindo que estas sejam expostas ao ridículo ou que passem por situações constrangedoras. Alguns adultos, na tentativa de fazer com que as crianças lhes sejam obedientes, deflagram nelas sentimentos de insegurança e desamparar fazendo-as se sentirem temerosas de perder o afeto, a proteção e a confiança dos adultos.
        O educador tem como papel ser um facilitador das brincadeiras, sendo necessário crianças são responsáveis pelas suas próprias brincadeiras. Sempre que possível o educador deve participar das brincadeiras e aproveitar para questionar com as crianças sobre as mesmas.
O PAPEL DA LUDICIDADE NA EDUCAÇÃO INFANTIL
        Vygotsky (1984) atribui relevante papel ao ato de brincar na constituição do pensamento infantil. É brincando, jogando, que a criança revela seu estado cognitivo, visual, auditivo, tátil, motor, seu modo de aprender e entrar em uma relação cognitiva com o mundo de eventos, pessoas, coisas e símbolos.

         A criança, por meio da brincadeira reproduz o discurso externo e o internaliza, construindo seu próprio pensamento. A linguagem, segundo Vygotsky (1984), tem importante papel no desenvolvimento cognitivo da criança à medida que sistemiza suas experiências e ainda colabora na organização dos processos em andamento.
De acordo com Vygotsky (1984, p.97),
         A brincadeira cria para as crianças uma “zona de desenvolvimento proximal” que não é outra coisa senão a distância entre o nível atual de desenvolvimento determinado pela capacidade de resolver independentemente um problema, e o nível atual de desenvolvimento potencia determinada através da resolução de um problema sob a orientação de um adulto ou com a colaboração de um companheiro mais capaz.
         Por meio das atividades lúdicas, a criança reproduz muitas situações vividas em seu cotidiano, as quais, pela imaginação e pelo faz – de- conta, são reelaboradas.
         Esta representação do cotidiano se dá por meio da combinação entre experiências passadas e novas possibilidades de interpretação e reprodução do real, de acordo com suas afeições, necessidades, desejos e paixões. Estas situações são fundamentais para a atividade criadora do homem.

       Tanto para Vigotsky (1984) como Piaget (1975), o desenvolvimento não é linear, mas evolutivo e, nesse trajeto, a imaginação de desenvolve. Uma vez que a criança brinca e desenvolve a capacidade para determinado tipo de conhecimento, ela dificilmente perde a capacidade. É  com a formação de conceitos que se dá a verdadeira aprendizagem e é no brincar que está um dos maiores espaços para a formação de conceitos. Negrine (1994, p.19) sustenta que

       As contribuições das atividades lúdicas no desenvolvimento integral indicam que elas contribuem poderosamente no desenvolvimento global da criança e que todas as dimensões estão intrinsecamente vinculadas: a inteligência, a afetividade, a motricidade e a sociabilidade são inseparáveis, sendo a afetividade a que contribuiu a energia necessária para a progressão psíquica, moral, intelectual e motriz da criança.
         Brincar é sinônimo de aprender, pois o brincar e o jogar geram um espaço para pensar, sendo que a criança avança no raciocínio, desenvolve o pensamento, estabelece contatos sociais, compreende o meio, satisfaz desejos, desenvolve habilidades, conhecimentos e criatividade. As interações que o brincar e o jogo oportunizam e favorecem a superação do egocentrismo, desenvolvendo a solidariedade e a empatia, e introduzem, especialmente no compartilhamento de jogos e brinquedos, novos sentidos para a posse e o consumo.

CONSIDERAÇÕES FINAIS:
         Na escola é possível o professor se soltar e trabalhar os jogos como forma de difundir os conteúdos. Para que isso aconteça é preciso que o educador selecione situações conteúdo com a atividade lúdica, mas, para isso, o jogo é uma das estratégias e não a única. Os jogos e os brinquedos constituem-se hoje em objetos privilegiados da Educação Infantil, desde que inserimos numa proposta educativa que se baseia na atividade e na interação delas.
         É buscando novas maneiras de ensinar por meio do lúdico que conseguiremos uma educação de qualidade e que realmente consiga ir ao encontro dos interesses e necessidades da criança. Cabe ressaltar que uma atitude lúdica não é somente a somatória de atividades; é antes de tudo uma maneira de ser, de estar, de pensar e de encarar a escola. É preciso saber entrar no mundo da criança, no seu sonho, no seu jogo e, a partir daí, jogar com ela. Quanto mais espaço lúdico proporcionarmos, mais alegre, espontânea, criativa, autônoma e afetiva ela será.
        Consideramos que a ludicidade é de fundamental importância para o desenvolvimento das habilidades motoras em crianças, pois através dos jogos e brincadeiras a criança se sente estimulada. Assim também a experiência da aprendizagem tende a se construir um processo vivenciando prazerosamente.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
SCHAEFER, (1994) – Terapêutica para reproduzir psíquicos
WILEY SCHWARTZ, G. M. Emoção, Aventura e Risco – A Dinâmica Metafórica de Vários Estilos – 2002.
FALCÃO, Ana Patrícia Bezerra. RAMOS, Rafaela de Oliveira. A importância do brinquedo e do ato de. Brincar para o desenvolvimento psicológico de crianças de 5 a 6 anos. Belém, 2002.
MINESTRINA V. e BEYER M. A. O lúdico – Uma forma de educar na Ed. Infantil. In. Revista de divulgação técnico _ científica do ICPG. Vol.3, n.9, p.185 – 188, 2006.
SEVERINO, A. J. A formação profissional do Educador: pressupostos filosóficos e implicações curriculares. ANDE, Ano10, nº17, 1991.
  PIAGET, Jean. A formação simbólica da criança. Rio de Janeiro: Zhar, 1975.
NEGRINE, Airton. Aprendizagem e desenvolvimento infantil. Porto alegre: Propil, 1994.
VIGOTSKY, L. S. A formação sócia da mente. São Paulo: Martins Fontes, 1984.
Data: 10/01/2012 - 20:43:41
Autor: PORANGABA, Fábio Araújo

Postagem em destaque

Entre em contato e peça um orçamento!.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...