Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, outubro 16, 2010

Organização do Trabalho Pedagógico ***Resumo apostila***

Bom dia a todos, 
Obrigada a todos que colaboraram para completarmos este arquivo... valeu
Lembrando que estes resumos são enviados por colegas para postarmos aqui e desta forma contribuir  com o estudos de todos!.


Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 1 - Didática, identidade profissional e a contextualização prática docente
Resumo elaborado por Nanci Fachini
- “Didática é a arte de ensinar”.
- Didática: concepção e objeto.
- Origem da Didática

Remonta desde o século XV, XVI e XVII.
“A expressão didática é derivada do grego e se traduz por arte e técnica de ensinar. Em 1657, Comenius em sua obra”Didática Magna”, popularizou a sistematização do processo de ensino, Esta tinha por fundamento “ensinar tudo a todos”. (Vera Maria Candau).
- Comenius é considerado “O Pai da didática”.
-Esse período em que, Comenius divulgou sua obra, foi um período de grandes conflitos entre o clero na Idade Medieval, para a Idade Moderna. Isso fez com que surgisse novas modalidades na forma de ensinar.
- Como os autores brasileiros vêem a Didática?

# José Carlos Libâneo
_ Considerava as dimensões do homem e do mundo.
_ Para ele, é importante que o professor tenha bem claro que compreensão ele tem de mundo.
_ Que os objetivos que estão na sociedade, sejam eles de ordem econômica, social, psicológica ou filosófica, sejam transformados em objetivos de ensino.
_ Esses objetivos carecem de conteúdos, metodologias, várias atividades que, se concretize a mediação entre o que é ensinar e o que é aprender.
# Cipriano Luckesi
_ Relaciona as questões da teoria e da prática de tal forma, que haja uma mediação entre elas, fazendo com que isso, seja realmente o papel da didática, saber fazer uma conexão entre a teoria e a prática, para que o papel do professor, em sala de aula, possa reverter-se numa prática pedagógica articulada.
_ O objeto de estudo da didática é o ensino-aprendizagem
  • “Ensino-aprendizagem é um processo em que está sempre presente de forma direta ou indireta, o relacionamento humano”. (Vera Maria Candau).
  •  Na medida que eu me relaciono com o aluno, eu aprendo com ele e vice-versa.
  • Há uma relação muito direta _ professor _ aluno, no ato de ensinar e de aprender.
  • “O ensino consiste no planejamento e na seleção de experiências de aprendizagem que permitem
  • ao aluno reorganizar seus esquemas mentais, estabelecendo relações entre os conhecimentos que
  • já possui e os novos, criando novos significados”.
  •  “O aprender é um processo essencialmente dinâmico que requer do aluno, a mobilização de suas
  • atividades mentais,, para compreender a realidade que o cerca, analisá-la e agir sobre ela,
  • modificando-a”. (Marli Eliza André).
_ A didática é a construção da identidade profissional.
_ O valor do professor na sociedade, nem sempre foi o mesmo. Houve época em que o professor era
altamente considerado, além do mestre, ele era o conselheiro, o sacerdote, enfim, era alguém
importante em sua comunidade. Com o passar dos tempos, essa valorização tomou outras
conotações. Há quem diga que hoje, pela conjuntura mundial na qual estamos vivendo, o professor
pode ser descartado. Será isso verdadeiro?
# Texto: “Profissão Tropeiro”
livro: “Conversas com quem gosta de ensinar” de Rubem Alves (pág. 10).
_ O professor tem que ser reflexivo para acompanhar a evolução das teorias para a sua prática
pedagógica. Para isso, ele deve refletir sobre a função social do ensino, os costumes de hoje, as
questões sociais, participação em associações, sindicatos.
_ O professor deve ser alguém altamente engajado no seu tempo, com evoluções, teorias para
conseguir fazer do ensino-aprendizagem, o seu melhor caminho.
_ Didática na formação de professores
_ Libâneo indica duas dimensões:
1ª Teórico-científica: questões de ordem acadêmica e prática.
2ª Técnico-prática: relacionamento das disciplinas de ordem metodológica como: metodologia,
filosofia, psicologia.
_ Cipriano Luckesi :“Educação e Sociedade _ Redenção, Reprodução e Transformação.
# Redenção
- Para Luckesi a educação é a redentora da sociedade. A educação tem a força de salvar a
Sociedade. E ela é dada de uma forma muito neutra.
- Há uma visão idealista, bastante sonhadora, em considerar que a educação tem esse poder, essa
força.
# Reprodução
- A sociedade existe e assim ela se configura.
- O papel da educação é nada mais, nada menos do que perpassar em seu currículo; perpassar no
seu livro texto, perpassar em suas aulas a ideologia que está posta na sociedade.
# Transformação
- Luckesi nos diz que nos não devemos levar em conta, nem tão pouco a visão idealista, nem tão
pouco a visão neutra.
- Para ele, a educação deve fazer parte de um projeto político para que nós professores, nós
escola, nós comunidade escolar, possamos juntos, fazer com que a escola se projete e construa
as suas próprias metas, os seus próprios objetivos para que, numa relação dialética, juntar as
questões que passem por uma visão conhecida e desconhecida e ter a possibilidade de criar um
mundo e uma sociedade melhor, onde as características sócio políticas e econômico-sociais são
consideradas no fazer pedagógico do professor.
_ A relação teoria-prática na formação do educador
_ Tanto a teoria como a prática, são palavras de origem grega.
_ A teoria busca interpretar , aprofundar, refletir, indagar, procurar caminhos.
_ A prática é um movimento que busca delimitar ações na metodologia, no fazer do professor para
concretizar as questões que aparecem e que se estabelecem na teoria.
_ O professor trabalhando somente com a teoria, desvincula toda a possibilidade de fazer relação da
teoria com o mundo circundante.
_ A teoria é importante na medida em que ela consegue fazer a ligação com a prática.
_ O ideal não é trabalhar a teoria de forma dicotômica e sim ao mesmo tempo a teoria e a prática.
_ Ao trabalhar teoria e prática tem-se a visão de unidade.
_ O professor que trabalha concomitantemente a teoria e a prática, está fazendo um trabalho crítico e
reflexivo.
“A prática de pensar a prática é a melhor maneira de
aprender a pensar certo. O pensamento que ilumina
a prática é por ela iluminada tal como a prática que
ilumina o pensamento é por ele iluminado.
Paulo Freire



Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 2 – Didática, Identidade e Profissionalização Docente
Resumo elaborado por Nanci Fachini
_ Professora Selma Garrido Pimenta
_ “A identidade do professor está muito ligada ao significado social e a manifestação desta, na sua
prática do dia a dia, em sala de aula.
A identidade é construída a partir da significação social da profissão; da revisão constante dos
significados sociais da profissão; da revisão das tradições. Mas também da reafirmação das práticas
consagradas culturalmente e que permanecem significativas”.
_ A identidade do professor é construída com diferentes espaços de tempo, onde entram questões de
ordem social, política e econômica.
_ O professor, conforme o período em que está vivendo, também recebe os condicionantes de toda
essa conjuntura social e faz com que a sua prática, em sala de aula, recebe significados e dimensões
diferenciadas.
_ A professora Pimenta ressalva alguns itens relacionados a identidade do professor:
# Significado social da profissão.
# A reafirmação da prática.
# }A revisão das tradições (valores, costumes).
_ A professora Pimenta destaca também a questão do conhecimento.
# Que o professor pense não só como mero aluno mas também como professor.
# Conhecer as realidades escolares.
_ A identidade do professor é uma só, composta pela identidade do professor e a identidade pessoal.
_ A profissão de educador é uma prática social.
_ O professor tem que ser crítico e reflexivo e responder por meio da prática docente às situações que
surgem no dia a dia profissional.
_ O Ideal de Professor ou o Professor Ideal
_ Através do percurso histórico, o professor teve momentos de maior consideração e de menor
consideração.
# Texto: de “Gabriela cravo e canela” – (pág. 23).
# O professor não era considerado.
_ É indiscutível, hoje, a necessidade da presença do professor na sociedade. E essa necessidade se
faz pelo seu trabalho, retidão e especialmente pelo seu comprometimento e pela sua maneira de
tratar a educação.
_ Os educadores são como as velhas árvores, possui uma face, um nome, uma “estória” a ser contada.
Habitam um mundo em que o que vale é a relação que os liga aos alunos, sendo que cada aluno é
uma “entidade” sui generis, portador de um nome, também de uma “estória”, sofrendo tristezas e
alimentando esperanças. E a educação é algo pra acontecer neste espaço invisível e denso, que se
estabelece a dois.”
Conversas com quem gosta de ensinar” – Rubem Alves.
_ “Este ensinar, este aprender, esta busca, deve ser feita com vocação, com carinho e com muita
paixão”. (Paulo Freire).
_ O professor tem que estar constantemente atualizado, tem que ler, tem que acompanhar as notícias.
Essa atualização não deve ficar apenas em termos de conhecimentos gerias, mas chegar também
muito e profundamente ao seu conteúdo, sendo discutido na escola com seus colegas, por área de
conhecimento, por disciplinas afins, onde a escola deve propiciar ao professor também a atualização
continuada.
_ Características do Professor Progressista segundo Paulo Freire
_ Humildade; amorosidade; coragem; tolerância.
_ Para Paulo Freire, decisão, segurança, tensão entre paciência e impaciência e a alegria de viver são
qualidades que estão agrupadas, articuladas entre si.
_ Libâneo e a relação ensino-aprendizagem
_ Conhecer estratégias do ensinar e pensar e ensinar a aprender.
# Atualização com métodos globalizantes _ visão mais ampla do que é ensinar _ aluno como
protagonista e também buscando seus conhecimentos.
_ Ensinar a pensar criticamente
# Trazendo sua criticidade para a sala de aula como referência para o aluno.
_ Desenvolver a capacidade comunicativa
# É o professor, com o domínio que tem do conteúdo, consiga movimentar-se em sala de aula, de tal
forma, que sua linguagem seja acessível e haja uma dinâmica interessante entre todos.
_ Reconhecer o impacto das novas tecnologias na sala de aula
# O professor precisa sentir o impacto das novas tecnologias no seu fazer pedagógico.
# O professor precisa atualizar-se, não só no seu conteúdo, não só numa visão geral do mundo mas
também, nos impactos que a nova tecnologia está trazendo para a sala de aula.
# Atualização científica, técnica e cultural: formação continuada.
# Essa busca acontece no curso de formação, reuniões de estudos na escola e nos cursos de pósgraduação.
_ Integrar no exercício docente a dimensão afetiva
# Seria a amorosidade, a atenção, tratar o aluno de igual para igual, valorizando o aluno, fazendo-o
se sentir pessoa.
_ Desenvolver comportamento
# O professor deve ter sempre uma postura ética e um comportamento a ser seguido pelos alunos.
_ Filme: “Sociedade dos poetas mortos”.
“Oxalá um dia cheguemos a uma vibrante consciência
pública de que o mais grade de todos os pecados
é mutilar a mente de uma criança, socavando seu
princípio vital de autoconfiança.”
Erik Erikson

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 3 – Tendência Pedagógicas I
Resumo elaborado por Nanci Fachini
_ Realismo
_ O Realismo é o movimento artístico que se manifesta na segunda metade do século XIX.
_ Caracteriza-se pela intenção de uma abordagem objetiva da realidade e pelo interesse por temas
Sociais
_ O engajamento ideológico faz com que, muitas vezes, a forma e as situações descritas, sejam
exageradas para reforçar a denúncia social.
_ O realismo representa uma reação ao subjetivismo do romantismo.
_ Sua radicalização rumo à objetividade sem conteúdo ideológico, leva ao naturalismo. Muitas vezes,
realismo e naturalismo se confundem.
_ Idealismo
_ O idealismo é uma corrente filosófica que emergiu apenas com o advento da modernidade, uma vez
que a posição central da subjetividade é fundamental.
_ teve suas origens a partir da revolução filosófica, iniciada por Descartes.
_ É nos pensadores alemães que o idealismo está, em geral, associado, desde Kant até Hegel que
seria talvez o último grande idealista da modernidade.
_ “As tendências pedagógicas definem o papel da educação e do homem no mundo, na sociedade e na
escola, o que repercute na prática docente em sala de aula, através dos elementos constitutivos que
envolvem o ato de ensinar e de aprender”. (Maria Fani Scheider).
_ A Educação segundo Paulo Freire
_ Paulo Freire em seu livro: “Pedagogia do Oprimido”, trata de duas tendências pedagógicas:
Educação Bancária
- voltada para o professor.
- o professor faz a narrativa e o aluno é simplesmente um depositário daquelas informações.
- a postura do aluno é de ouvinte.
- o papel do aluno é a de decorar.
- a avaliação é aquela considerada boa se o aluno conseguir repetir o que está escrito nos livros e
nos documentos oficiais.
- se almeja a manutenção daquelas informações passadas, onde o aluno tende a repetir tudo
aquilo que a sociedade, naquele momento, exige dele.
Educação Problematizadora ou Libertadora
- Nela são lançadas temas geradores.
- professor e aluno num movimento dialógico, onde existe a pergunta, o questionamento, a fala e
argumentação.
- aluno e professor são considerados sujeitos do próprio processo, onde há o respeito pelo aluno, e
através da busca, a construção do conhecimento.
- trás todas as condições necessárias para o ato de ensinar e aprender, nos dias de hoje.
- ela a fazer desaparecer a fragmentação de ensino para que o aluno consiga, com a mediação do
professor, ter uma visão global do ato de aprender.
_ A Pedagogia segundo Libâneo
_ Ele aborda as tendências pedagógicas em duas grandes visões:
- A Pedagogia Liberal
# “A Pedagogia Liberal sustenta a idéia de que a escola tem a função de preparar os
indivíduos para o desempenho de papéis sociais, de acordo com suas aptidões individuais”.
# São todas as idéias relacionadas a educação, numa visão crítica.
# Pedagogia Liberal Tradicional
_ Ela chegou ao Brasil com os jesuítas.
_ Altamente centralizadora.
_ Quem detinha o poder de ensino era o professor.
_ O aluno tinha que simplesmente decorar e repetir aquilo que era ensinado pelo professor.
_ Avaliação era feita através de provas orais e escritas.
_ Infelizmente, ainda hoje, alguns professores adotam esse sistema de ensino.
# Pedagogia Liberal Renovada Progressista
_ O papel da escola é adequar as necessidades individuais, ao meio social, organizando-se
de forma a retratar a vida.
_ O ato de aprender saiu da sala de aula, aprendendo a pesquisar, mas contudo, sem ainda
uma visão crítica.
# Pedagogia Liberal Renovada Não-diretiva
_ Apresenta alguma semelhança com a Pedagogia Progressista.
_ Existe uma concentração maior na da pessoa do aluno.
_ Maior valor ao diálogo.
_ O professor desempenha um papel de facilitador, auxiliando o aluno a buscar o
conhecimento por ele desejado.
_ Influência européia cada vez mais acentuada da psicologia, sociologia referente às
questões, as visões e aos rumos que são dados a educação.
2ª - Pedagogia Progressista
# “A Pedagogia Progressista designa aquelas tendências que, partindo de uma análise crítica
das realidades sociais, sustentam as finalidades sócio políticas da educação”.
# Ela tenta trazer uma visão mais crítica da educação, uma visão mais adequada aos dias
atuais.
# Um tipo de reflexão que leva a professor a pensar melhor no seu fazer pedagógico. Um tipo
de relação entre professor e aluno, que busca nos dois, a reunião, para que através do
diálogo, ele consiga fazer com que a construção do conhecimento se faça presente.
# Pedagogia Progressista Libertadora
_ A educação já se constitui com novos olhares, mais críticos, onde há uma relação entre a
escola e sociedade e vice-versa.
_ Os conteúdos são apresentados em torno de temas geradores, que levam o aluno a
interessar-se mais, porque é de livre escolha dele, onde o professor leva o aluno a
condições diferenciadas e com autonomia, consiga construir o seu próprio conhecimento.
# Pedagogia Progressista Libertária
_ O aluno é tido como auto gestor de sua própria proposta.
_ Aqui no Brasil não deu certo, como também em poucos lugares do mundo.
_ Nessa proposta, o aluno é livre, ele se auto-governa.
_ O que vale é o que o professor nem se quer sugere e sim, aquilo que o aluno pretende.
_ O professor tem o papel de acompanhamento, orientador.
_ Praticamente, há uma desorganização,porque não há uma linha rígida para ser seguida,
não há nem para ser seguida, nem para ser servida.
# Pedagogia Progressista Crítico-social dos Conteúdos
_ Os alunos já estão preparados para entender o mundo, de forma crítica, estabelecendo
relações entre o que a escola e a sociedade exige deles.
_ O que se quer é que o professor e aluno trabalhem de forma viva, integrada, dialógica, para
que eles possam juntos, a partir do conhecimento que o aluno trás de fora da sala de aula,
e do conhecimento trabalhado pelo professor em sala de aula, que eles consigam integrarse
de forma que a construção do conhecimento aconteça em cada aluno, de maneira
autônoma e dono do seu saber.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 4 – Tendências Pedagógicas II
Resumo elaborado por Nanci Fachini

_ Ambientes Educativos e a Epistemologia do Professor, segundo Fernando Becker
_ Pedagogia Diretiva
_ “Na Pedagogia Diretiva, o professor acredita que o conhecimento é transmitido para o aluno.
Entende que se aluno não tem nenhum saber, não o tinha no nascimento e não o tem a cada novo
conteúdo que necessita estudar nas disciplinas curriculares”.
_ A Pedagogia Diretiva está embasada nas idéias do empirismo: S _ O (estímulo e resposta).
S = sujeito; O = objeto.
_ Na Pedagogia Diretiva o professor deve ter um domínio do conhecimento. Estaria sustentado por
alguns livros, dicionários, etc.
_ Cabe ao professor transmitir os conteúdos e os conhecimentos, de uma forma puramente mecânica.
_ O aluno deverá se apropriar dos conhecimentos, sem, contudo, questioná-los.
_ A Pedagogia Diretiva vai estar enfocando, sempre, o objeto frente ao sujeito.
_ A Escola
- Função de transmitir conhecimentos.
_ O Ensino
- Está relacionado ao professor, os conteúdos seriam escolhidos por ele.
_ O Método
- Está relacionado apenas a escolha do professor, onde ele escolheria os materiais a serem utilizados.
_ Professor X Aluno
- Professor autoritário, que não erra e que tem conhecimentos absolutos.
- O aluno é vazio e seria preenchido processualmente.
_ Aprendizagem
- O aluno aprende através de um processo mecânico de transmissão de conhecimento. Caberá ao
professor escolher os materiais adequados, do seu ponto de vista.
_ Pedagogia Não-Diretiva
_ “Na Pedagogia Não-Diretiva o professor é um facilitador da aprendizagem, um auxiliar do aluno. O
educando já traz um saber e é preciso apenas organiza-lo ou recheá-lo de conteúdo.
A epistemologia que fundamenta essa postura é a apriorista”.
- Aprioristas são todos aqueles que pensam que o conhecimento acontece em cada indivíduo
porque ele traz já, em seu sistema nervoso, o programa pronto. O mundo das coisas ou dos
objetos tem função apenas subsidiária: abastece, com conteúdo, as formas existentes a priori
(determinadas previamente). O apriorismo opõe-se ao empirismo.
_ A Escola
- Seria uma escola onde o aluno aprenderia o que desejasse.
_ O Ensino
- Quem escolheria os conteúdos seriam os alunos, cabendo ao professor apenas facilitá-los.
_ O Método
- Cabe aos alunos escolherem os instrumentos a serem utilizados no ambiente escolar.
_ Professor X Aluno
- O professor é um facilitador da aprendizagem e o aluno estaria responsável por novas construções
de conhecimentos.
_ Aprendizagem
- Todo o processo de ensino-aprendizagem, caberá ao aluno.
_ Pedagogia Relacional
_ “O professor admite que tudo que o aluno construiu, até hoje em sua vida, serve de patamar para a
construção de novos conhecimentos. Para esse professor, o aluno tem uma história de conhecimento
já percorrida e é capaz de aprender sempre”.
S __ O = relação sujeito/objeto.
_ O aluno traz conhecimentos de sua vida, o qual ele construiu através de sua participação no meio
social (construtivismo). Então, o aluno não seria uma tábua rasa.
A __ P (ação/problematização).
A = ao aluno; P = correspondente ao professor.
_ A Escola
- Seria um espaço de construção conjunta, tanto para o professor, quanto para o aluno.
_ O Ensino
- Tanto os alunos quanto o professor, escolheriam os conteúdos, em harmonia.
_ O Método
- Tanto o professor quanto o aluno, teriam autonomia na escolha metodológica a ser utilizada.
_ Professor X Aluno
- Tanto o professor quanto o aluno, estariam preocupados com a relação ensino-aprendizagem.
_ Aprendizagem
- Está relacionado a um processo harmonioso de escolha, tanto por parte do professor quanto do
Aluno.
_ Quadro síntese nas páginas 49 e 50.
_ Tendências Pedagógicas e o Processo de Ensino segundo Mizukami
_ 1ª - Abordagem Tradicional
_ A Educação seria transmitida de uma forma mecânica.
_ O professor transmite e pré-determina os conteúdos que considera essenciais para o aluno.
_ O Aluno seria apenas um receptor.
_ A avaliação estaria relacionada a uma apropriação e reprodução desses conteúdos.
_ A Escola
- Deveria sintetizar o processo educativo
_ O Ensino
- Enfoca um professor centralizador dos conhecimentos e o aluno é visto como um receptor.
_ O Método
- Quadro verde ou branco; cartilhas; livros didáticos ou paradidáticos.
_ Professor X Aluno
- O aluno não tem espaço no ambiente educativo.
_ Aprendizagem
- De forma mecânica.
_ 2ª - Abordagem Comportamentalista
_ As idéias dessa linha, estão relacionadas ao empirismo, com a proposta behaveorista de Skinner, ou
seja, através de estímulos e respostas.
_ Ao professor caberia trabalhar estímulos positivos e negativos _ “idéia de premiações”.
_ O professor deve levar em conta o ritmo do aluno.
_ A Escola
- Caberia a ela, trabalhar com o comportamento do aluno: estímulo_resposta.
_ O Ensino
- O professor deverá planejar e estruturar-se, num método de ensino programado.
_ O Método
- O professor estrutura-se a partir de um bom planejamento.
_ Professor X Aluno
- Respeito mútuo entre professor e aluno.
_ Aprendizagem
- Novos comportamentos seriam à base de uma boa aprendizagem, relacionada ao ritmo do aluno.
_ 3ª - Abordagem Humanista ou Anti-Pedagogia
_ Ensino centrado no aluno _ o professor é um facilitador.
_ O aluno, baseado nos seus conhecimentos, está apto a organizar o seu aprendizado.
_ O professor deverá oferecer espaço educativo, compatível com as necessidades do aluno, bem como,
instrumentos pedagógicos: livros, internet, jogos educativos.
_ A auto-avaliação decorrerá de sua aprendizagem.
_ A Escola
- Deve ser voltada para o aluno, em relação a seu espaço.
_ O Ensino
- Volta-se para o aluno tendo o professor como facilitador.
_ O Método
- Quem irá planejar, escolher materiais e o processo avaliativo será o aluno.
_ Professor X Aluno
- Relação mais livre.
_ Aprendizagem
- Relacionada apenas ao aluno.
_ 4ª – Abordagem Cognitiva
_ O conhecimento seria o produto da interação entre o homem e o mundo que o cerca.
_ O aluno já traria vários conhecimentos construídos, para a escola.
_ Trabalha-se conceitos piagetianos de Assimilação e Acomodação e Equilibração.
_ Caberá o planejamento, do ato educativo, que leve em conta as necessidades, as potenciais e
capacidades dois alunos.
_ O professor deverá conhecer todos os seus alunos: culturalmente, economicamente e socialmente.
_ Relação centrada entre ensino-aprendizagem.
_ A Escola
- Vai trabalhar com a construção do conhecimento, voltada para o aluno agir sobre os objetos do
conhecimento.
_ O Ensino
- O professor propõe estratégias à partir da capacidade do aluno.
_ O Método
- Deverá estar relacionado tanto as necessidades do alunos quanto do professor.
_ Professor X Aluno
- Relação estabelecida de forma clara e objetiva.
_ Aprendizagem
- Relacionada a aquisição de novos conhecimentos.
- Nessa aprendizagem, o erro, às vezes, é mais significativo que o acerto.
_ 5ª – Abordagem Sócio-cultural
_ O homem é o sujeito da educação.
_ A comunidade é essencial para a prática educativa.
_ O trabalho do educador, em sala de aula, ou espaços não escolares, seria o de problematizador das
questões econômicas, sociais e culturais.
_ A escola
- Seria uma escola que problematizasse cultura, sociedade, enfim, onde é que vivemos.
_ O Ensino
- Deve fazer o aluno refletir sobre os acontecimentos na sociedade.
_ O Método
- Relacionado a problematização de um contexto maior como: letras de músicas, imagens, filmes,
obras de artes, etc.
_ Professor X Aluno
- Relação através de discussões, problematizações sobre a realidade a qual vivemos.
_ Aprendizagem
- Associada a novos questionamentos.
- Voltada para a vida, à questões atuais, em busca de soluções.
_ Quadro síntese nas páginas 54 e 55.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 5 – Escola-Professor: Função Social
Resumo elaborado por Nanci Fachini

_ “A Escola cabe ensinar, isto é, garantir a aprendizagem de certas habilidades e conteúdos que
são necessários para a vida em sociedade”.
_ A Função Social da Escola e dos Professores
_ O cenário da escola hoje, é composta por uma equipe de gestores, professores, alunos, comunidade,
que constituem esse espaço educativo.
_ A importância da comunidade é extrema tanto para o ensino-aprendizagem, quanto para a própria
estruturação da instituição escolar.
_ A Função Social da Escola é:
_ A formação do cidadão;
_ Ajudar a realizar o processo de construção do conhecimento, através da linguagem, da escrita e
cálculos matemáticos;
_ Proporcionar ao alunos, oportunidades para adquirir valores e conhecimentos básicos, para a vida
na sociedade contemporânea;
_ Promover atitudes e habilidades para que cada aluno venha a participar plena e efetivamente, da
vida política, econômica e social do País.
_ Compreensão da Função Social da Escola:
_ Socialização dos sujeitos;
_ Socialização dos conhecimentos;
_ Desenvolvimento de um sujeito global;
_ Desenvolvimento em suas premissas cognitivas, afetivas e motoras.
_ Problemas da Escola
_ Conviver com o dialético do sujeito;
_ Falta de conhecimento de sua comunidade escolar:
- Quem são seus funcionários, seus meios educacionais, sua origem e como eles visualizam a
escola?
_ Ela avalia alguns conhecimentos como verdadeiros e outros não.
_ A Escola Tradicional ainda existe, sendo assim, ela nega culturas, nega interdisciplinalidade,
avaliando apenas de uma forma os conteúdos e os conhecimentos.
_ Função Social do Ensino e suas Implicações Didático-Pedagógicas
_ A Escola deve se estruturar para trabalhar com os vários conhecimentos existentes, problematizá-los
e construir um currículo que aborde a singularidade e a necessidade de cada um.
_ Deve haver um currículo articulado, com professores que atuem planejando e elaborando novas
propostas de conhecimento.
_ A Visão de Homem e a sua Relação com a Função Social da Escola
_ Que homem desejamos construir, formar?
_ “Ter clareza da função social da escola e do homem que se quer formar é fundamental para realizar
uma prática pedagógica competente e socialmente comprometida, particularmente num país de
contrastes como o nosso”. Bernardete Rodrigues.
_ Zabala, referindo-se a um modelo de cidadão e cidadã que queremos, destaca diferentes
dimensões de desenvolvimento da pessoa:
_ Social: o homem deveria participar ativamente de transformações relacionadas com a sociedade,
na qual ele está inserido.
_ Interpessoal: Trabalhar com a relação com este outro, ou seja, fazer com que o aluno perceba o
seu “eu”, mas principalmente, a relação do seu “eu” sujeito me o outro que está a seu lado.
_ Pessoal: No sentido de conhecer-nos, ou seja, conhecer-se e compreender a si mesmo, na
construção da autonomia, auto-governo e disciplina.
_ Profissional: necessidades e capacidades de habilidades e conhecimentos.
_ Devemos nos utilizar de questões reais, para a construção do nosso planejamento e da estruturação
curricular.
_ Levar para dentro dos muros escolares e para a sala de aula, o que o aluno vê, escuta, sente,
problematiza.
_ Concepção Construtivista do Ensino
_ Ações para a escola cumprir sua ação social:
- considerar as práticas da sociedade: culturais, sociais e econômicas;
- considerar as relações diretas ou indiretas dessas práticas;
- conhecer as expectativas dessa comunidade;
- conceber a escola como pólo cultural;
- promover a identidade cultural do aluno;
- auxiliar o aluno a ver e pensar a realidade como um todo.
_ A Concepção Construtivista busca uma ação social não somente do aluno mas também, do professor
engajado, crítico e sustentado, principalmente, atreves de teorias que ele re-significa, questiona e
problematiza construindo assim, uma sala de aula autônoma onde, os alunos tenha direito a
expressar –se de uma forma crítica.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 6 – Planejamento I
Resumo elaborado por Nanci Fachini
_”Planejamento significa ato ou efeito de planejar serviço de preparação de um trabalho ou de
uma tarefa como estabelecimento de métodos convenientes.
Determinação de um conjunto de procedimentos e ações visando a realização de determinado
projeto”.
_ O ato de planejar faz parte do ser humano desde o início, ou seja, o homem das cavernas já
planejava, buscava alimentos, abrigo e proteção, o que não difere muito do homem hoje, dito
virtual.
_ Planejamento X Plano: Conceitos e Abordagens
_ Para Vasconcellos:
_ “planejar é antecipar mentalmente uma ação a ser realizada e agir de acordo com o previsto; é
buscar fazer algo incrível, essencialmente humana: “o real a ser comandado pelo ideal”.
_ Ao planejar podemos interferir na realidade.
_ A ação de planejar, para o autor, seria uma questão política, um compromisso com a reprodução ou
a transformação da sociedade brasileira.
_ Dependendo de como o professor planeja, ela vai trabalhar, ora com reprodução, ora com
transformação.
_ O planejamento torna-se uma ferramenta de trabalho intelectual que irá nos auxiliar na transformação
ou reprodução de uma sociedade ou de um processo educativo.
_ Para Gandin:
_ Planejamento seria decidir que tipo de sociedade e de homem desejamos e que tipo de ação
educacional seria necessário para isso.
_ Planejar a educação implica: elaborar, executar e avaliar
- Dimensão Elaborar _ é perceber que tipo de homem e de sociedade desejamos, e isso se
consegue através de planejamento.
- Dimensão Executar _ que estratégias iremos construir, para colocar em ação os planos
constituídos.
- Dimensão Avaliar _ Avaliação das duas dimensões anteriores. A avaliação pressupões início e
término de um planejamento.
_ Libâneo e as funções do planejamento
_ Alguns funções deve se fazer presentes, tais como:
_ esclarecer princípios, diretrizes e procedimentos de trabalho docente;
_ relacionar o posicionamento profissional do professor e suas ações educativas;
_ assegurar a realização de um processo de ensino de qualidade;
_ planejar de acordo com as exigências do contexto.
_ O planejamento orienta a prática do professor, facilita a seqüência lógica da ação docente e a
coerência entre as idéias e a prática do educador.
_ “Caráter processual é uma importante característica do processo, visto que o mesmo é uma atividade
constante de reflexão e ação, aberto a alterações, conforme os resultados que apresenta na prática”.
_ Para o autor o planejamento escolar deve atender algumas questões:
_ ao diagnóstico a a análise da realidade da escola;
_ definição de objetivos e metas;
_ a determinação de atividades e tarefas.
_ Outras formas de planejamento segundo Luckesi
_ Ele enfoca três questões:
_ Planejamento educacional _ abordagem racional e científica, dos problemas da educação.
_ Planejamento curricular _ tarefa multidisciplinar, visando favorecer os processos ensinoaprendizagem.
_ Plano de ensino _ previsões de atividades discentes e docentes, deverão estar explicitadas.
_ Para o autor, planejar seria ao mesmo tempo um processo, uma habilidade e uma atitude, relacionada
ao corpo docente de determinada instituição.
_ Diferença entre planejamento e plano, segundo Vasconcellos
_ Planejamento
_ Processo contínuo, dinâmico e flexível de reflexão, tomada de decisão, colocação em prática e
acompanhamento.
_ É permanente.
_ Plano
_ É produto desta reflexão e tomada de decisão que, como tal, pode ser explicitado em forma de
registro de documento ou não.
_ É provisório
_ Gandin e as etapas de elaboração dos planos:
_ Preparação _ é realizada através de estudos individuais, em grupo ou através de palestras para o
corpo docente.
_ Elaboração do plano global de médio prazo _ estabelecimento de metas à médio prazo a serem
cumpridas na instituição.
_ Elaboração do marco referencial _ necessidade da escola se inserir num contexto maior.
_ Este marco subdivide-se em outros três:
- marco situacional _ a escola compreende-se como parte do mundo.
- marco doutrinal _ a escola assume uma proposta político-social e a fundamenta.
- marco operativo _ a escola firma o ideal de sua prática, destacando questões de ensinoaprendizagem.
_ Elaboração do diagnóstico _ a inserção dos profissionais que trabalham na escola, na comunidade
mais ampla.
_ Elaboração da programação _ realizar um calendário, estabelecendo metas, objetivos e como esse
plano será colocado em prática e o tempo que levará na execução.
_ Elaboração de planos globais de curto prazo _ associação das questões mais necessárias e
emergentes.
_ Elaboração de planos setoriais _ a colaboração de cada setor da escola para o desenvolvimento de
uma prática educativa de qualidade.
_ Projeto Político-Pedagógico (PPP).
_ Um instrumento teórico metodológico, necessário para a transformação, modificação, extremamente
da realidade escolar.
_ Projeto
_ Determinado documento, produto de certo planejamento.
_ Laço entre o presente e o futuro.
_ Político
_ Aspectos sociais e econômicos relacionados a sociedade ampla.
_ Pedagógico
_ Por meio da ação educativa, a escola concretiza aquilo que almeja construir, partindo de
conhecimentos e valores.
_ “Todo projeto pedagógico da escola é, também, um projeto político por estar intimamente articulado ao
compromisso sócio-político e com os interesses reais e coletivos da população majoritária”. Veiga
_ O PPP pretende não somente estruturar a prática docente mas, principalmente, explicitar questões
referentes a sociedade, cultura e relação econômica dos educadores.
_ Funções do PPP
_ LDB 9394/96 – art. 12, I; 13, I, 14, I, explicitam a sua importância.
_ Construção participativa na LDB, destaca o indispensável para uma construção inicial, frente as
necessidades dessa escola, e o que modificar.
_ O PPP deverá ser amparado por concepções teóricas sólidas, que supõe o aperfeiçoamento e a
formação de seus agentes (professores).
_ Vasconcellos
_ “O PPP é um plano global da instituição. Pode ser entendido como a sistematização, nunca
definitiva, de um processo de planejamento participativo, que se aperfeiçoa e se objetiva na
caminhada, que define claramente o tipo de ação educativa que se quer realizar, a partir de um
posicionamento quanto a sua intencionalidade e de uma leitura da realidade”. Vasconcellos.
_ O autor destaca três partes articuladas entre si, que deveriam estar presentes no PPP:
- Marco Referencial _ o que queremos alcançar, nosso posicionamento político-pedagógico.
- Diagnóstico _ o que nos falta para sermos o que desejamos.
- Programação _ sua estruturação: mensal, anual, quinzenal.
_ o que faremos concretamente, para suprir as nossas necessidades que estão vinculadas as
propostas de ação.
_ Elementos Básicos do PPP, de acordo com Veiga
_ As finalidades da escola;
_ A estrutura organizacional administrativa e pedagógica;
_ Currículo _ direcionados pelos PCNs;
_ Processo de decisão;
_ Relações de trabalho;
_ Avaliação
_ O que torna o PPP flexível é a avaliação.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 7 – Planejamento II
Resumo elaborado por Nanci Fachini

_Vertentes do planejamento do processo ensino e aprendizagem:
_ PCNs;
_ DCN;
_ PPP;
_ Regimento Escolar;
_ Plano de Estudo e/ou Proposta Pedagógica;
_ Plano de Trabalho;
_ Plano de Aula.
_ Pensar no processo ensino-aprendizagem requer uma ação que exige planejamento, preparação e
escolha de caminhos metodológicos, visando ações educativas que expressem uma dimensão política
e social, para assumirmos uma linha pedagógica, tanto a escola quanto o professor, que norteie uma
prática mais includente e diferenciada, do que ocorre hoje nos espaços educativos.
_ Os PCNs – Parâmetros Curriculares Nacionais.
_ “Tem como objetivo estabelecer uma referência curricular nacional, aos estabelecimentos de
ensino, principalmente, aos professores e servir de eixo norteador, na elaboração e re-elaboração
dos currículos para os diferentes níveis de ensino no Brasil”. Maria Fani Scheibel
_ Críticas
- Eles foram propostos porém, os professores não tiveram a capacitação sobre os temas.
_ DCN – Diretrizes Curriculares Nacionais
_ “DCN é o conjunto de definições doutrinárias sobre princípios, fundamentos e procedimentos, na
Educação Básica, que orientarão as escolas brasileiras dos sistemas de ensino na organização, na
articulação, no desenvolvimento e na avaliação de suas propostas”. Parecer CEB n. 04/98.
_ Os PCNs e os DCNs, buscam auxiliar as instituições de ensino a possibilitar novas mudanças, tanto na
prática pedagógica quanto teórica.
_ O PPP – Projeto Político-Pedagógico da escola
_ Segundo Libâneo, “o projeto é um guia para a ação, prevê, dá uma direção política e pedagógica para
o trabalho escolar, formula metas, institui procedimentos e instrumentos de ação”.
_ “PPP é a diretriz orientadora das ações educativas na escola, expressando as concepções de
homem, sociedade, educação, conhecimento, escola, dentro outras que justifiquem e fundamentem
as práticas da instituição”. Maria Fani Scheibel
_ Regimento Escolar
_ É o instrumento formal e legal, que regula a organização e o funcionamento da instituição quanto aos
aspectos pedagógicos, com base na legislação do ensino em vigor.
Tem sua origem no PPP da escola”. Maria Fani Scheibel
_ Plano de Estudo e/ou Proposta Pedagógica
_ Fundamentado na LDB, arts. 27, 28, 36 e 53.
_ Os planos de estudos deverão ser elaborados frente a algumas questões:
- os componentes curriculares propostos no PCN;
- Temas transversais;
- Proposta do PCN;
- componentes curriculares de livre escolha da escola;
- explicitação dos objetivos e da amplitude e profundidade com que serão desenvolvidos cada
componente curricular.
_ “Os Planos de Estudos são feitos por nível de ensino e constituem-se, na expressão do currículo.
Listam as disciplinas com ementas, cargas horárias e as competências e habilidades a serem
desenvolvidas por cada uma delas”. Maria Fani Scheibel
_ Plano de Trabalho
_ Para a construção do plano de trabalho deveremos conhecer algumas questões:
- Necessidades e expectativas dos alunos;
- Filosofia da escola;
- A singularidade da comunidade;
- Disponibilidade de recursos físicos e materiais.
_ Plano de aula
_ “O Plano de Aula ou de um conjunto de aulas, consiste no detalhamento da proposta do professor,
para uma aula ou um conjunto de aulas, necessariamente articulado ao plano de trabalho do
professor. Os Planos de aula são feitos para cada dia de aula a partir dos planos de trabalho”.
_ O Plano de Aula é o detalhamento da proposta do professor na construção de uma área ou várias
Aulas.
_ O Plano de aula sustentaria e orientaria a prática pedagogia do professor e sua ação didática.
_ Aspectos Legais
_ PPP _ LDB 9394/96 e DCN.
_ Regimento Escolar _ LDB e DCN.
_ Planos de Estudo _ LDB, DCN, PCN e Gestão e ação do Estado.
_ Planos de Trabalho do professor _ LDB.
_ Planos de Aula.
_ Estão relacionados a legislação vigentes.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 8 – Plano de aula e Pedagogia de Projetos
Resumo elaborado por Nanci Fachini

_Plano de aula
_ Fases de História do Planejamento de Aula
_ Segundo Sant’Anna existem três princípios:
1º - Fase do Principio Prático
- Planejamento sem estruturação.
- Na década de 50, não havia uma necessidade de um planejamento formal, a preocupação
era com as tarefas sendo cumpridas.
- Haviam os objetivos e as tarefas os quais o professor deveria colocar em prática.
2º - Fase do Princípio Instrumental
- Iniciou-se no processo de industrialização.
- Aquisição de conhecimentos com o menor número de insucessos.
- Fase do movimento comportamentalista.
- Questões relacionadas a mudanças comportamentais.
- O bom professor era aquele que levava o maior números de alunos ao sucesso (acertos).
- O aluno não poderia cometer erros.
3º - Fase do Planejamento Participativo
- Idéias de Paulo Freire
_ Ação/reflexão/ação.
_ O bom professor deverá planejar e agir sobre esse planejamento e refletir sobre o que
está propondo.
_ Participação como atuação com os outros e na busca de conhecimento.
APRENDIZAGEM
Sujeito que aprende
Interação
Professor Objeto de
conhecimento
_ “Plano é um documento que diz o que vai ser feito, quando, de que maneira, por quem, para chegar
a que evidências ou simples apresentação sistematizada e justificada das decisões tomadas”. Freire
_ “Quem ensina, ensina alguma coisa a alguém”. Paulo Freire
_ Para Freira, o professor deveria trabalhar com alguns conceitos e algumas características, em sua
prática pedagógica, entre as quais: criticidade, coerência e exigência, relacionadas aos exercícios de
sua reflexão sobre sua prática educativa.
_ Plano de Aula x Planejamento de Aula
_ Plano é o que vai ser realizado em sala de aula. Seria uma construção da realidade.
_ Plano de Aula deriva do Planejamento.
_ Sugestão de roteiro de plano de aula páginas 106 e 107.
_ Pedagogia de Projetos
_ Dewey e Kilpatrick
_ A escola era extremamente tradicional e nos planejamentos eram enfatizados algumas
questões, principalmente da linguagem e lógico-matemática.
_ Começa-se a enfatizar coisas do cotidiano: meio ambiente, botânica, etc.
_ Ação sobre o meio ambiente o qual está inserido.
_ Ela é muito utilizada na Educação Infantil
_ Metodologia dos Projetos
_ escolha de um tema, juntamente com os alunos.
_ Fernando Fernandes
_ “A organização dos projetos de trabalho, se baseia fundamentalmente numa concepção da
globalização.
(...)
Globalização e significatividade são, pois, dois aspectos essenciais que se plasmam nos
projetos”.
_ O autor critica a proposta de Dewey e Kilpatrick devido a uma estruturação inicial da pedagogia
de projetos estar associado ao modelo fordista, ou seja, voltado para o mercado de trabalho, da
industrialização dos EUA.
_ O autor propõe os Projetos de Trabalho, porque os alunos se tornam mais ativos, críticos,
autênticos inclusive, refletindo sobre o que estão fazendo no espaço escolar.
_ O professor se abriria para novas formas de pensamento e aos conhecimentos populares e aos
saberes científicos.
_ Pedagogia de Projetos X Projeto de Trabalho
_ Hernándes propões algumas questões:
_ Escolha de um tema que todos tenham afinidade;
_ Planejamento de Trabalho
- etapas,
- objetivos,
- conteúdos.
_ Problematização
_ Execução do projeto
- pesquisa,
- sistematização,
- produção
_ Divulgação _ ferramenta chave para o bom desenvolvimento do projeto.
_ Avalição.
_ Para Hernándes, os projetos de trabalho são flexíveis, portanto, podem ter uma durabilidade de 2
a 3 dias como até um semestre.
_ Para o autor, no decorrer do processo de trabalho, cabe ao educador estabelecer alguns
aspectos com os alunos a respeito do tema abordado, são eles:
O que sabemos?
O que queremos saber?
Quais são nossas hipóteses?
O que descobrimos?
_ Para Hernándes, trabalhar com projetos significa dar ênfase aos conteúdos a serem trabalhados,
bem como, com a autonomia do professor e aluno, frente a a escolha do tema e desenvolvimento
do projeto.
_ Projetos de Trabalho X Centro de Interesse
_ “Centros de Interesse são idéias-eixo ao redor das quais convergem as necessidades
fisiológicas, psicológicas e sociais da criança”. Ovide Decroly
_ Decroly sustenta a idéia de seis eixos de interesse:
1º - Acriança e a família;
2º - a criança e a escola;
3º - A criança e o mundo;
4º - a criança e o mundo vegetal (meio ambiente).
5º a criança e o mundo geográfico;
6º A criança e o universo.
_ O autor enfatiza duas grandes áreas da ciência: as áreas naturais e as áreas sociais.
_ Decroly destaca três etapas de aprendizagens que deveriam estar presentes nos centros de
interesse:
1ª – Observação pessoal e Direta das coisas, através da ciência;
2ª – Tempo e espaço das coisas observadas;
3ª – Expressão de pensamento através de diferentes linguagens.
_ Diferenças entre Centros de Interesse e Projetos de Trabalho
_ A diferença básica entre os centros de interesse e os projetos de trabalho está na maneira de
como os professores conduzem-nos.
_ Quadro síntese no capítulo.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 9 – Currículo: Implicações didático-metodológicas
Resumo elaborado por Nanci Fachini

_Curriculum vem do latim
Scurrere = correr
_ Vários autores definem currículo como sendo uma síntese de conhecimentos e valores que
caracterizam alguns processos sociais que seriam expressos no trabalho pedagógico a ser desenvolvido
nas escolas.
_ Segundo Aple
_ Os currículos seriam produzidos através dos conflitos, tensões e compromissos culturais, políticos,
sociais, econômicos que organizam ou desorganizam um povo.
_ Assim, para o autor, o currículo jamais seria neutro, porque ele é carregado de informações culturais,
sociais e econômicas que a escola poderia repro0duzir ou transformar.
_ LDB é o Currículo Nacional
_ LDB, 9394/96, art. 26.
“Os currículos do ensino fundamental e médio devem ter uma base nacional comum, a ser
complementada, em cada sistema de ensino e estabelecimento escolar, por uma parte diversificada,
exigida pelas características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e da clientela.
_ A LDB cria uma base nacional curricular comum que iria transparecer conteúdos mínimos centralizados
em duas questões:
_ Vida cidadã _ o MEC irá considerar características culturais, sociais, econômicas.
_ Parte diversificada _ necessidades da comunidade e disciplinas optativas (obrigatórias) e
facultativas (não obrigatória) se farão presentes.
_ Os conteúdos mínimos das áreas de conhecimento referem-se “as noções e conceitos essenciais
sobre fenômenos, processos, sistemas e operações, que contribuem para a constituição de
saberes, conhecimentos, valores e práticas sociais indispensáveis ao exercício de uma vida de
cidadania plena”.
- Uma das características a serem trabalhadas são os exames, as provas.
_ Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) para o Ensino Fundamental
_ Conjunto de definições doutrinárias sobre princípios, fundamentos e procedimentos, na Educação Básica.
_ Busca estabelecer uma articulação entre conteúdos mínimos e a prática educativa.
_ Parecer CEB/CNB n. 04/98
_ Em todas as escolas deverá ser garantida a igualdade de acesso dos alunos a uma Base Nacional
Comum, de maneira a legitimar a unidade e a qualidade da ação pedagógica na diversidade
Nacional; a Base Nacional comum e sua Parte Diversificada deverão integra-se em torno do
paradigma curricular, que visa estabelecer a relação entre a Educação Fundamental com: a Vida
Cidadã, através da articulação entre vários dos seus aspectos como:
1. a Saúde;
2. a Sexualidade;
3. a Vida Familiar e Social;
4. o Meio Ambiente;
5. o Trabalho;
6. a Ciência e a Tecnologia;
7. a Cultura;
8. as Linguagens;
Com as Áreas de Conhecimento de:
1. Língua Portuguesa;
2. Língua Materna (para populações indígenas e imigrantes);
3. Matemática;
4. Ciências;
5. Geografia;
6. Língua Estrangeira;
7. Educação Artística;
8. Educação Física;
9. Educação Religiosa (na forma do art. 33 da LDB).
_ Na Vida cidadã, estaria sendo trabalhado ação/reflexão/ação, sobre conteúdos e desigualdades sociais.
_Diretrizes Curriculares para o Ensino Médio
_ São estruturadas em três áreas de conhecimento:
1. Linguagens, Códigos e suas Tecnologias;
2. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias;
3. Ciências Humanas e suas Tecnologias.
_ Segundo Sacristán “os currículos são a expressão do equilíbrio de interesse e forças que gravitam
sobre o sistema educativo num dado momento9, enquanto que através deles se realizam os fins da
educação no ensino escolarizado”.
_ Pacheco traz duas definições comuns de currículos:
_ Formal _ se estruturaria através de determinados fins e finalidades, ou seja, de determinados
conteúdos à ensinar.
_ Informal _ o currículo sem uma determinação de conteúdos prévios, intitulado de um currículo
dinâmico, ou seja, seria construído à partir das necessidades da comunidade.
_ Currículos
_ Currículo Formal _ expressa planos e propostas pedagógicas, estas existentes inclusive nos PCNs.
_ Currículo em Ação _ seria a concretização do currículo desde a sua prescrição, até a sua efetivação.
_ Currículo Oculto _ é aquele currículo implícito, entre as linhas das disciplinas, os conteúdos mínimos
a serem trabalhados. Trabalha com a dominação ou legitimação cultural, ou seja,
controles sociais porém, de uma maneira implícita.
_ Temas Transversais
_ Temas transversais seriam algumas temáticas específicas, relacionadas a nossa vida cotidiana.
_ Na LDB os Temas Transversais são entendidos como temas relacionados a uma cultura popular.
_ Eles estão associados a um planejamento mais coeso e flexível.
_ Eles estão expressos nos PCNs.
_ Os Temas Transversais são:
- Ética;
- Pluralidade Cultural;
- Meio Ambiente;
- Saúde;
- Orientação Sexual.
- de 5ª a 8ª séries trabalham-se com mais dois temas: Trabalho e Consumo.
_ Origem dos Temas Transversais
- O Ministério de Educação Brasileiro inspirou-se no modelo espanhol de transversalidade.
- Os Temas Transversais buscam articular questões como: desigualdade social, política, economia e
cultura.
_ Currículo
_ Busca uma articulação entre as disciplinas.
_ Multidisciplinaridade
- justaposição de disciplinas sem relação entre si;
- trabalha de uma forma somativa.
_ Pluridisciplinaridade
- justaposição de disciplinas, próximas entre si;
- trabalha de uma forma de contigüidade.
_ Interdisciplinaridade
- interação entre as disciplinas de conhecimento, entre conceitos;
- ela requer pesquisa, investigação teórica.
_ Transdisciplinaridade
- “Configura-se por temáticas que ultrapassam a própria articulação entre as disciplinas, ou seja, não
encontra assento em nenhum campo já constituído”. (Araújo).
_ Contextualização
- deveria ser uma parte diária de todo o sujeito.
- significa assumir conhecimentos que nos envolvem enquanto sujeito e objetos de conhecimento.
- significa tornar as disciplinas mais cotidianas, mais ricas e mais vivenciadas.
_ Quadro na página 130.
Objetivos Gerais do Ensino Fundamental (Pág. 126)
ESTRUTURA DOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS PARA O ENSINO FUNDAMENTAL
.
Os quadrinhos não-sombreados correspondem aos itens que serão trabalhados nos Parâmetros Curriculares
Nacionais de quinta a oitava série.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 10 – Estudos Culturais, Currículo e Educação
Resumo elaborado por Nanci Fachini

_ “Olhar outra vez para os mecanismos de no9ssas instituições educacionais, questionar a
‘verdade’ de nossos próprios e cultivados discursos, examinar aquilo que faz com que sejamos
o que somos, tudo isso abre possibilidades de mudança”. (Jennifer Gore).
_ Estudos Culturais
_ “Os Estudos Culturais não configuram uma disciplina, mas uma área onde diferentes disciplinas
interagem, visando o estudo de aspectos culturais da sociedade”. (Stuart Hall)
_ Os Estudos Culturais vão buscar de diversas maneiras, compreender e principalmente, definir culturas,
significação, identidade e poder.
_ Para Foucault não existe sociedade sem poder. Para ele:
- “O poder, longe de impedir o saber, o produz. Se foi possível constituir um saber sobre o corpo, foi
através de um conjunto de disciplinas militares e escolares. É a partir de um poder sobre o corpo
que foi possível um saber fisiológico, orgânico”.
_ Sardar e Van Loon (1998) salientam cinco pontos (5º parágrafo pág.135) dos Estudos Culturais:
1. Relações entre poder e práticas culturais;
2. Complexidade no interior dos contextos sociais e políticos;
3. A cultura como dupla função: ela é ao mesmo tempo, o objeto de estudo e o local da ação e da crítica
Política;
4.O conhecimento = quem conhece e o que é conhecido.
5. Avaliação moral da sociedade moderna.
_ “Compreende-se cultura não como uma expressão orgânica de uma comunidade, nem como uma
esfera autônoma de formas estéticas, mas como um contestado e conflituoso conjunto de práticas de
representação ligadas ao processo de composição e recomposição dos grupos sociais”. (John Frow e
Meaghan Morris).
_ Cultura = espaço de luta pela significação.
_ Para os Estudos Culturais, a cultura deve ser ressignificada, para que possamos questionar os conflitos
e desigualdades geradas pela mesma.
_ Estudos Culturais e Educação
_ “Nesse percurso pelas movimentações dos Estudos Culturais e por seus cruzamentos com a educação
e a pedagogias, encontramos subsídios para afirmar que a educação se dá em diferentes espaços do
mundo contemporâneo, sendo a escola, apenas um deles”. (Marisa Costa).
_ Currículo Cultural
_ Diz respeito a representação de mundo, de sujeito, de sociedade, que a mídia e outros artefatos,
constituem assim o currículo cultural, cria formas de ser, formas de portar-se, formas de ver o mundo.
_ A idéia da pedagogia da mídia é estudar os artefatos que estão a nossa volta e que, estão no mundo
atual.
_ Identidade e Currículo
_ “A Identidade plenamente unificada, completa, segura e coerente é uma fantasia. Ao invés disso, à
medida que os sistemas de significação e representação cultural se multiplicam, somos confrontados
por uma muldtip0licidade desconcertante e cambiante de identidades possíveis, com cada uma das
quais poderíamos nos identificar – ao menos simplificações”. (Stuart Hall)
_ A nossa Identidade é transitória, contraditória, ela vai se constituindo através dos nossos movimentos
na sociedade e das nossas relações.
_ Identidade Social
_ Ela é construída no interior da representação, através da cultura, de nossas relações.
_ “O nexo íntimo e estrito entre educação e identidade social, entre escolarização e subjetividade, é
assegurado precisamente pelas experiências cognitivas e afetivas corporificadas no currículo”. (Silva)
_ Currículo como Produção de Identidade e Diferença Social.
_ O currículo constitui até normas à respeito de corpo, disciplinamento de corpos, ou seja, como devemos
brincar, em que horário.
_ Identidade e Diferença
_ São inseparáveis, ou seja, aquilo que somos não pode ser separado daqui8lo que não somos. Ex.
Crianças com necessidades especiais.
_ Currículo como Artefato Cultural
_ Trabalha com vários gêneros: raça, sexualidade, etnia, religiosidade, etc. Ex.: Desenho – “A Pequena
Sereia”.
_ Multiculturalismo e Currículo
_” Multiculturalismo crítico compreende a representação de raça, classe e gênero, como o resultado de
lutas sociais mais amplas e enfatiza (...) a tarefa central de transformar as relações sociais, culturais e
institucionais, nas quais os significados s]ao gerados”. (Peter Mac Loren)
_ Busca questionar essas identidades que estão sendo construídas, bem como, propor uma relação mais
ampla frente essa idéias de raça, gênero e desigualdade social.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 11 – Projetos de Trabalho na Educação Infantil
Resumo elaborado por Nanci Fachini

_ “O Projeto não é uma simples representação do futuro, do amanhã, do possível, de uma idéia, é
o futuro a fazer, um amanhã a concretizar, um possível a transformar em real, uma idéia a
transformar em ato”. (Jean Marie Barbier)
_ Projetos de Trabalho
_ Ele poderá contribuir para um currículo mais dinâmico, mais estratégico, inclusive, no sentido de
problematizações do nosso próprio ato educativo.
_ Ele é sustentável através de uma prática dinamizadora, porque conhecimentos vão ser aprendidos e
Questionados.
_ Trabalhar com Projetos de Trabalho implica:
- Ensinar de modo diferenciado;
- Diferenciadas interações, experiências.
_ Ele possibilita práticas mais lúdicas, mais ativas.
_ As temáticas são múltiplas e principalmente, significativas.
_ Os projetos ´possuem uma estrutura mutante, inovadora.
_ “(...) A aprendizagem acontece em situações concretas, de interação, como um processo contínuo e
dinâmico, em que se afirma, se constrói e desconstrói, se faz na incerteza, com flexibilidade, aceitando
novas dúvidas, comportando a curiosidade, a criatividade que perturba, que levanta conflitos”. (Maria
Carmem Barbosa)
_ Projetos de Trabalho: Estruturação (página 148)
_ Levar temáticas interessantes que possam ser questionadas, reconstruídas, avaliadas, reavaliadas.
_ Projeto que tenha vida e que possa ser interrompido caso não esteja mais vindo ao encontro das
necessidades tanto do alunos, quanto do professor.
_ Enfoques na Estruturação do Trabalho:
- Tema: tem que ser significativo tanto para o aluno, quanto para o professor.
- Turma: o tema tem que estar associado a faixa etária da criança, senão pode ocorrer desinteresse.
- Duração: 7 a 14 dias, no mínimo.
- Justificativa:
> importância do projeto;
> conhecimento e necessidades dos grupos;
> embasamento teórico.
- Objetivo Geral: referente ao projeto.
- Objetivos Específicos: áreas de conhecimentos à serem trabalhadas.
- Conteúdos.
- Metodologia.
- Avaliação.
- Socialização: murais, fotos, exposição dos trabalhos para os pais e a comunidade.
- Quadro na página 148.
_ Projetos de Trabalho no Berçário (página 149)
- Título: Estimulando o Bebê.
- Objetivo Geral: possibilitar o desenvolvimento global do bebê.
_ Projeto de Trabalho no Maternal I e Maternal II (página 149 e 150).
- Título: Eu, você, nós?
- Objetivo Geral: propiciar a construção da relação eu – outro.
_ Projeto de Trabalho no Jardim ou Pré I e Jardim B (página 150).
- Alguns materiais necessários para a prática das atividades:
> Sucatas de todos os tipos;
> livros, revistas, jornais;
> argila, massas para modelar, lápis de cor. Canetas hidrocor, etc.
> brinquedos e jogos diversos;
> Mascote: pode ser um animal de estimação ou um boneco.
> almofadas, colchonetes, tapetes de vários tamanhos.
> músicas, CDs, filmes.
_Trabalhar com projetos de trabalho, visa investigar, problematizar,e construir novas
formas de planejamento.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 12 – Projeto de Trabalho nas Séries Iniciais
Resumo elaborado por Nanci Fachini
_ As idéias dos Projetos de Trabalho
_ “Desinventar objetos. O pente, por exemplo. Dar ao pente funções de não pentear. Até que ele fique à
disposição de ser uma begônia”. (Manoel de Barros).
_ Projetos de Trabalho
_ Se constituem com um novo pensar em educação, articulando os eixos interdisciplinares e
transdisiciplinares.
_ Hérnandes destaca que, ao serem construídos, os projetos de trabalho devem embasar-se em algumas
questões:
1. Um projeto de trabalho supõe uma concepção do aprender que leva em conta algumas vozes;
2. Aprender relacionado à elaboração de uma conversação cultural;
3. A aprendizagem realiza-se de uma maneira situada;
4. Um projeto de trabalho poderia ser considerado com um formato aberto (não rígido e estável) para a
indagação, de maneira que permita estruturar e contar uma história;
5. O tema está vinculado ao emergente, a uma concepção transdisciplinar do conhecimento;
6. Percepção e problematização de cultura e currículo;
7. Com os projetos de trabalho pretende-se percorrer o caminho que vai da informação ao conhecimento;
8. Nos projeto de trabalho, assumimos uma perspectiva multiculturalista.
_ Projetos de Trabalho e Currículo
_ “Se nos estudos culturais a cultura é uma arena, um campo de luta em que o significado é fixado e
negociado, as escolas, sua maquinaria, seus currículos e práticas são parte desse complexo”. (Costa)
_ “Podemos ver o conhecimento e o currículo como campos culturais, como campos sujeitos à disputa e a
interpretação, nos quais os diferentes grupos tentam estabelecer sua hegemonia”. (Tomaz T. Silva)
_ O currículo perpassa informações de identidade social e cultural.
_ O currículo permite manter ou modificar essa identidade.
_ “Ao analisar toda a gama dos lugares diversificados e densamente estratificados de aprendizagem, tais
como a mídia, a cultura popular, o cinema, a publicidade, as comunicações de massa e as
organizações religiosas, entre outras, os Estudos Culturais ampliam nossa compreensão do
pedagógico e de seu papel fora da escola como o local tradicional da aprendizagem”. (Henry A. Giroux)
_ A Pedagogia e o Currículo Cultural
_ Os Estudos Culturais enfatizam que a muitas vida fora dos muros da escola e que devemos estar
presentes e participar desse contexto cultural e social.
_ Culturas da Mídia
- Elas perpassam formas de nós vizualizarmos, formas de ver o outro.
- Ela vai nos envolvendo e criando nossa identidade.
- Pode ser impressa ou televisiva.
- Kinder cultura = cultura infantil.
- Nos Estudos Culturais e Multiculturalismo é muito importante que tenhamos construções conceituais,
inclusive de cultura negra e indígena.
_ Projetos de Trabalho para o 1º e 2º ano do Ensino Fundamental
_ Projetos sobre desenhos animados como: “A bela e a fera”; “Shrek” _ trabalha com padrão de beleza.
_ Projeto de Trabalho
- Tema: Identidade
- Título: Identidade
- Temas musicais: O que os nossos adolescentes escutam hoje?
- Público Alvo: 3º ano do Ensino Fundamental
_ Trabalhar com projetos de trabalho nos anos iniciais do Ensino Fundamental significa possibilitar
pesquisas de campo, processos de mediação constante. É importante que os adultos
ingressem na cultura de seus alunos, ou seja, informem-se sobre o que esses alunos escutam,
assistem, e brincam ou não brincam, pois os alunos que fomos não estão mias nos espaços
educativos.


ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO

Aula 13 - Avaliação: perspectivas atuais




Histórico da inteligência: três pressupostos associados à definição de inteligência Construção dos conceitos: Avaliação e inteligência
Definição de Inteligência: Hereditariedade, classificação e medição (Maia, 2000)
Hereditariedade: início com gregos e romanos, eles acreditavam que filhos de soldados seriam ótimos soldados ou atletas, assim como filhos de grandes pensadores.
A China ainda tem essa visão e incentiva de grandes cientistas. Mas a inteligência não é passada biologicamente de pai para filho.
Classificação: comum em sla de aula, classificar o sujeito como inteligente ou não. Homem mais inteligente que a mulher.

Descartes: “A racionalidade estava acima de tudo, principalmente da emoção”.


Medição: Escala de Binet-Stanford. O francês elaborou uma bateria de testes para ser aplicados nas escolas francesas para detectar as crianças com difuldades na aprendizagem. O método não conseguiu se estruturar como prevenção das dificuldades.


Teoria das Inteligências Múltiplas (Gardner)

Foi proposto em 1983 por Howard Gardner, pesquisador norte americano. Diz que o ser humano é capaz de desenvolver diferentes inteligências que funcionam independentemente, mas que estão combinadas em quase todas as atividades razoavelmente sofisticadas. Ele afirma que as avaliações realizadas valorizam a capacidade verbal e lógico matemática. As inteligências descritas por ele são:
Linguística: uso da linguagem para transmitir ideias, convencer, agradar, estimular, sensibilidade para sons, ritmos. Ex. escritores e poetas;
- Atividades pedagógicas relacionadas: charges, filmes, história em quadrinhos, músicas etc.


Ø Lógico matemática: habilidade com raciocínios, ordenar, reconhecer e resolver Problemas. Ex. engenheiros e matemáticos.
- Atividades pedagógicas relacionadas: jogos com “resta um”, dominó, amarelinha.






habilidade de produzir e reproduzir peças musicais. Ex. cantores,


instrumentistas, compositores.






- Atividades pedagógicas relacionadas: músicas, cantigas de roda etc.






Ø Espacial: habilidade para manipular formas ou objetos mentalmente, criando






representação visual ou espacial. Ex. arquitetos, cenógrafos.






- Atividades pedagógicas relacionadas: jogos como Lego, quebra cabeça, modelagem etc.






Ø Cinestésica: habilidade para resolver problemas ou criar produtos com parte ou todo






o corpo. Controle do corpo e manipulação de objetos com destreza. Ex. dançarinos,


cirurgiões, atletas.






- Atividades pedagógicas relacionadas: dança teatro, brincadeiras cantadas etc.






Ø Interpessoal: entender e interagir com outras pessoas, responder adequdamente aos






humores. Ex. líderes, executivos, diplomatas.






- Atividades pedagógicas relacionadas: discussões argumentadas em grupos, construção


de normas de convivência.






Ø Intrapessoal: reconhecimento das próprias habilidades, limitações, necessidades.






Habilidade para ter acesso ao próprio sentimento e às emoções dos outros. Ex.


professores, assistentes sociais, psicologos, médicos.






- Atividades pedagógicas relacionadas: interação e mediação social, descoberta de si e do


outro.






Ø Ecológica: capacidade de elaborar estratégias associadas a educação ambiental.






Resolução de problemas relacionados ao meio ambiente. Ex. biológos e ambientalistas.






- Atividades pedagógicas relacionadas: pesquisa ambientais, educação ecológica etc.






Hoffmann, Hadji, Méndez, Bonniol e Vial: a avaliação mediadora deve ser contínua,


formativa e personalizada.






Avaliação é um dos elementos presentes no processo de ensino-aprendizagem, permitindo


o confrontamento de nossas propostas educativas, as visibilidades e construção na prática e


reelaboração futura associadas à construção de conhecimentos pelos educandos. Necessita


estar vinculada ao Projeto Político pedagógico.






Luckesi: a avaliação está a serviço de uma concepção teórica da educação, que traduz uma


concepção teórica da sociedade.






Gimeno: para avaliar o professor se utiliza de suas concepções, valores, expectativas e


determinações do contexto.






O fracasso e o sucesso escolar passam a ser associado a processos de classificação e medição,


(realização e testes e atribuição de notas).






Vera Lúcia Zacharias: essa avaliação enfatizaria a classificação e seleção nos processos de


ensino-aprendizagem, mas visualizaria os aspectos cognitivos, afetivos e relacionais associados


ao desenvolvimento global do educando.






Zacharias: a finalidade da avaliação seria: conhecer melhor o aluno, constatar o que está


sendo aprendido, adequar o processo de ensino, julgar globalmente um processo de ensino-






Nesse sentido a avaliação é contínua, preocupada, não só com os conteúdos apreendidos, mas


também com o fazer pedagógico do professor. As características da avaliação são: deve ser


contínua e integrada ao fazer diário do professor, global, formativa.






Avaliar significa relacionar o conhecimento anterior do aluno com as construções futuras.


Avalia-se a sala de aula, espaço educativo e o que acontece fora da escola.






Instrumentos de avaliação






São todos os documentos utilizados para registrar o desempenho do aluno.






Jussara Hoffmann: as metodologias se definem pelas intenções e formas de agir do professor


ao avaliar. Os instrumentos seriam registros feitos pelo aluno e pelo professor.






Avaliação mediadora: é necessário questões propostas que possibilitem a investigação, a


problematização das hipóteses construídas pelos seus alunos.






Itens para a construção das avaliações (Hoffmann):






ü Dissertativas: respostas escritas que vão de duas frases a algumas páginas;


ü Objetivas: são construídas de modo a facilitar a correção observando uma palavra ou






frase ou notando qual das várias respostas possíveis foi escolhida.






Construção das tarefas avaliativas: usar linguagem clara e objetiva, evitar interdependência dos


itens, evitar expressões como de sua opinião, diga o que pensa.






Mostra os progressos e as dificuldades individuais, fornecendo sugestões para o educando


melhorar.






Corazza: fez uma estudo há 10 anos, sua conclusão continua coondizente com nossa


realidade. Ficou evidente que haveria um destaque no que o sujeito era ou não, seus sucessos


e insucessos, aprovações e reprovações. A maioria deles estrutura-se no sentido de propor


regras de conduta, comportamento. Ela destaca outras questões:






Ø Linguagem técnico-científica: linguagem técnica não traduzida para os educandos e






familiares. Ex. transição do nível ilábico para o alfabético;


Tradição escolar: visão tradicional do ensino que se faz presente. Ex. dever de casa,


data no caderno;


Termos neutros: sem se explicar o que realmente era compreendido por: ótimo,


muito bom etc;


Marcadamente progressista: progredir, atingir. Ex. progrediu muito;


Categorização: aluno ideal (características positivas) e não ideal (características


negativas);


Qualidades/habilidades associadas a natureza/gênero:


o Meninas: adaptativas, sentimentais – delicada, atenciosa, lenta, insegura,






agitada, não é compreensiva;






o Meninos: ativos, cerebrais – inteligentes, independentes, forte, preguiçoso,






Os pareceres analisados corporificam um instrumento político de discriminação cultural.






Méndez: “... a avaliação faz parte de um continuum, deve ser processual, contínua, integrada


no currículo e , como ele, na aprendizagem. Não são tarefas discretas, descontínuas, isoladas,


insignificantes em seu isolamento; tampouco é um apêndice do ensino”. “será sempre e em


qualquer hipótese avaliação formativa, motivadora e orientadora”.






Com esses nortes avaliar significa possibilitar o crescimento intelectual, afetivo, motor. Perceber


o sujeito em todos os seus aspectos. Que a avaliação contemple a imaginação, criação,


sensibilidade, a vida que existe fora da escola.






Aula 14 - Parâmetros Curriculares Nacionais e temas transversais: tecendo fios






Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil






Conjunto de referências e orientações pedagógicas que visam contribuir com a implantação


e implementação de práticas educativas de qualidade. Alguns princípios mencionados são:


respeito à dignidade e aos direitos das crianças; o acesso das crianças aos vens socioculturais


disponíveis; a socialização da criança; cuidados essenciais.






Orientações didáticas: temáticas, objetivos, conteúdos e orientações gerais para o professor;


a faixa etária das crianças é dividida em 0 a 3 anos e 4 a 6 anos.






As áreas de conhecimento propostas são:






Ø Movimento: produção de práticas expressivas e comunicativas externadas pelo






o Métodos utilizados: jogos, brincadeiras, danças e práticas esportivas.






Sugestões de leitura: História do brinquedo (ATZINGEN, Maria Cristina Von); Jogos


Teatrais na Escola (REVERBEL, Olga).






Ø Música: linguagem que se traduz em formas sonoras capazes de expressar






e comunicar


sensações, sentimentos e pensamentos. No referencial não há


embasamento teórico.






Sugestões de leitura: Ensino de Música (HENTSCHKE, Liane; DEL BEM, Luciana (Org.)); A


Criança no Mundo da Música (MARSICO, L.)






Ø Artes Visuais: não há propostas para processos avaliativos referente as artes visuais.






Engloba o fazer artístico, apreciação, reflexão, fruição, imaginação criadora.






Sugestões de leitura: O Olhar em Construção (BUORO, A.B.); A Criança e seu Desenho


(GREIG, P.).






Ø Linguagem oral e escrita: destaca que uma das capacidades das crianças deveria






ser escutar textos lidos.






Sugestões de leitura: Linguagens Geradoras (JUNQUEIRA FILHO, Gabriel de Andrade); O


Livro dos Arteiros (KOHL, Maryann F.)






Ø Natureza e sociedade: temas relacionados ao mundo social e natural, enfatizando






que o trabalho deve ser integrado respeitando as Ciências Humanas e Naturais.






Sugestões de leitura: Geografia em Sala de Aula (KAERCHER, N.); Descobrindo a


Ciência pela Arte (KOHL, Maryann F.; POTTER, Jean).






Ø Matemática: As ideias de Piaget sobre a construção do número estão presentes nesse






eixo. Jogos são utilizados como estratégia para aprendizagem.






Sugestões de leitura: Brincadeiras infantis nas aulas de matemática (CANDIDO,


Patricia); Resolução de Problemas (CANDIDO, Patricia).






Parâmetros Curriculares Nacionais e temas transversais para as séries iniciais e


críticas






As tendências pedagógicas são descritas como tendenciosas e responsabilizadas pela


ineficiência do ensino brasileiro. Não há propostas para capacitação de professores para


trabalhar com temas transversais.






Ø Língua Portuguesa: São apresentadas questões relacionadas a objetivos, conteúdos






e critérios de avaliação.






Ø Matemática: Ausência de uma visão interdisciplinar que se sustente na prática.


Ø Ciências Naturais: Teorias atuais de educação ambiental ou estudos culturais não






aparecem.


Ø História e Geografia: Ausência de referência teóricas queproblematizam essas áreas


de conhecimento.


Ø Arte: Subdividido em visuais, danças, música e teatro. Conceitos teóricos abstratos.


Ø Educação Física: Critérios de avaliação e deficiência física são abordados.Os


conteúdos são divididos em:


o Esportes, jogos, lutas e ginástica;


o Atividades, rítmicas e expressivas;


o Conhecimentos sobre o corpo.






Apresentação dos temas transversais e ética: Falta clareza epistemológica para trabalhar


com temas transversais no espaço escolar. Não há a inclusão de questões sociais no currículo.






Ø Meio ambiente: discussões sobre relações socioeconômicas e ambientais, crescimento






Ø Saúde: o nível de saúde das pessoas reflete a maneira como vivem. Relação entre






saúde, meio físico, social e cultural.






Ø Pluralidade cultural: A sociedade brasileira é formada por várias etnias e imigrantes






de diferentes países.


o Raça: conceito biológico criticado hoje – classificar sujeitos pela cor da pele;


o Etnia: conceito antropológico, enfatiza as diferenças culturais, sem se


preocupar com a questão biológica.






Sugestões de leitura: O sortilégio da Cor (NASCIMENTO, Elisa Larkin); Quem somos?


(CAVALLI – SFORZA, Luca; CAVALLI – SFORZA, Francesco).






Ø Orientação sexual: deve ser entendida como um processo de intervenção






pedagógica com o objetivo de transmitir informações e levantar questões relacionadas


a sexualidade. Tem três eixos fundamentais: corpo humano, relações de gênero e


prevenção às doenças sexualmente transmissíveis e à AIDS. A publicidade de hoje


é mais formadora de nossa subjetividade do que o ensino escolar. Discutir esse


tema significa discutir como a mídia apresenta a mulher (submissas, magras, belas


e não necessariamente inteligentes) e o homem (exploradores, cultos, realizados


profissionalmente, não necessariamente belos e bem sucedidos economicamente).






Sugestões de leitura: De Tarzan a Homer Simpson (NOLASCO, Sócrates); De Deusa a


Bruxa (SWAIN, T. N).






Evasão, repetência, dificuldades de aprendizagem e outras questões não devem ser associadas


à inexistência de um padrão curricular comum de referência. Essas questões deveriam ser


associadas às desigualdades sociais, culturais e econômicas. O referencial, os PCN e os temas


transversais institucionalizam a transmissão de conteúdos como construir e constituir.
Organização

do Trabalho Pedagógico
Aula 15 - Avaliação: Perspectivas Atuais
Resumo elaborado por Nanci Fachini

_ Três pressupostos estão associados a definição de inteligência:
_ Hereditariedade; Classificação; Medição.
_ Hereditariedade
_ Para gregos e romanos inteligência poderia ser compreendida como: desenvolvimento corporal
(soldado) e desenvolvimento lingüístico.
_ Estaria associado aos romanos a primeira idéia de inteligência: hereditariedade, ou seja, pais
inteligentes, filhos inteligentes. Seria uma inteligência biológica passando de pai para filho.
_ Para Platão a inteligência estaria associada a alma porém, as mulheres e as crianças, daquela
época, eram vistas sem alma sendo assim, era desprovidas de inteligência.
_ Classificação (atrela-se a medição)
_ É o espaço para cada sujeito.
_ Tem seu início com gregos e romanos.
_ Hoje é vista nas escolas com separação por turmas de inteligências: A, B, C, D.
_ Medição
_ Surge com o psicólogo francês Binet em 1908, na França.
_ Desenvolveu um processo avaliativo que pudesse auxiliar os professores em sala de aula,
principalmente, na elaboração de sua metodologia.
_ Criou-se a Escola Binet – Stanford com o objetivo de medir, mensurar, avaliar.
_ Esses três pressupostos: hereditariedade, classificação e medição, alertam que a avaliação,e em
hipótese algumas, pode se transformar numa escala de validação de quem é visto e dito como
inteligente ou não inteligente.
_ Teoria das Inteligências Múltiplas por Howard Gardner
_ Gardner em sua pesquisa, contrapôs essa perspectiva de que a inteligência é única. A Teoria das
Inteligências Múltiplas consideram as diferenças, as singularidades. São elas:
_ Inteligência Lingüística
− Relaciona-se com a expressão verbal _ oral ou escrita. Destacam-se: jornalistas, políticos,
escritores e poetas.
_ Inteligência Lógico-matemática
− Vai além das resoluções de problemas e cálculos matemáticos, abarcando o pensamento
científico. Destacam-se: engenheiros, administradores, matemáticos e físicos.
_ Inteligência Corporal-cinestésica
− Diz respeito aos movimentos corporais. Destacam-se: bailarinos, esportistas.
_ Inteligência Espacial
− Visualização do espaço e a criação de imagens mentais a partir dele. Destacam-se: arquitetos,
escultores, desenhistas.
_ Inteligência Musical
− Reconhecimento de padrões sonoros, ritmos e batidas; manuseio de instrumentos musicais;
reproduzir e criar sons. Destacam-se: compositores, cantores e músicos.
_ Inteligência Interpessoal
− Capacidade de estabelecer contato como os outros e criar empatia. Capacidade de liderança e
gerencia na negociação de soluções. Destacam-se: embaixadores, executivos, líderes.
_ Inteligência Intrapessoal
− Relaciona-se à capacidade de auto-conhecimento e auto-motivação, sabendo lidar e superar
frustrações. Capacidade de controlar a impulsividade, de encarar a vida com otimismo, e
superando obstáculos. Ex.: professores, psicólogos, médicos, assistentes sociais.
_ Naturística ou Ecológica _ capacidade de elaborar estratégias associadas a educação ambiental.
Ex.: Biólogos.
_ Com sua teoria, Gardner buscou salientar a pluralidade da mente humana e a ineficácia da medição,
classificação e hereditariedade, para avaliar a inteligência.
_ Para ele, os sujeitos possuem inteligências diferenciadas a serem trabalhadas e valorizadas, cabe a
família, a sociedade e, principalmente ao educador, desenvolve-las e respeitá-las.
_ Avaliar e Avaliação
_ “(...) conceber e nomear o ‘fazer testes’, o ‘dar notas’, por avaliação é uma atitude simplista e ingênua!
Significa reduzir o processo avaliativo, de comportamento e ação com base na reflexão, a parcos
instrumentos auxiliares desse processo, como se nomeássemos por bisturi um procedimento cirúrgico”.
(Jussara Hoffman)
_ O Governo estabelece uma proposta de avaliação centrada em três pontos:
- Contínua: observação e registro diários da capacidade e dificuldade dos alunos.
- Personalizada: uma avaliação personalizada para cada aluno.
- Formativa; ir ao encontro das necessidades dos alunos.
> Finalidade da avaliação formativa:
° conhecer melhor o aluno;
° constatar o que está sendo aprendido;
° adequar o processo de ensino;
° julgar globalmente um processo de ensino e aprendizagem.
_ Características da Avaliação:
- contínua e integrada.
- global.
- formativa.
_ Parecer Descritivo
_ Ele é muito utilizado na Educação Infantil e nos anos iniciais do Ensino Fundamental.
_ Parecer Descritivo = “instrumentos de expressão dos resultados da avaliação”.
Comunicar os progressos e as dificuldades individuais, fornecer sugestões de como melhorar e registrar
os resultados parciais, finais do processo de aprendizagem da criança. ((Sandra Corazza)
_ Após uma pesquisa realizada, analisando 200 pareceres descritivos,Corazza aponta algumas questões
(pág. 172) apresentadas como:
- Linguagem técnico-científica;
- tradição escolar;
- Termos neutros;
- Marcadamente progressista;
- categorização;
- Qualidades/habilidades associadas a natureza/gênero:
> meninas: adaptativas, sentimentais;
> meninos: ativos., cerebrais.
_ Corazza e a conclusão do estudo
- O Parecer Descritivo tem uma estrutura muito forte de prescrição.
- O Parecer Descritivo deve relacionar-se a o que a criança faz e não faz mas, com muito cuidado , com o
propósito de relacionar esse parecer aos objetivos propostos em nosso planejamento.
_ “Perceber o que é dito, escrito, feito, pensado. Reintegrar a experiência que nos constitui e constituiu”.
(Sandra Corazza).



Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 16 – Parâmetro Curriculares Nacionais e Temas Transversais: tecendo fios
Resumo elaborado por Nanci Fachini
Resumo elaborado por Gislaine...Gi
_ Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil
_ As áreas de conhecimentos propostas são:
_ Movimento _ cultura do movimento _ jogos brincadeiras _ atividades relacionadas com a área
lúdica _ resgate dos jogos tradicionais como: amarelinha, 5 marias, pião, corda, etc.
_ Música _ visitas a locais musicais como: rádio comunitárias.
_ Artes Visuais _ imaginação criadora, associada a pensamento convergente e divergente.
- Pensamento convergente = pensamento que a sociedade constrói no sentido de todos olharem com
os mesmos olhos e verem a mesma coisa.
- Pensamento divergente = criar outras formas de ver, de aprender a olhar e a fazer; diferentes
espaços de observação.
_ Linguagem Oral e Escrita _ apreciar a leitura feita pelo professor; propostas lúdicas, desde o
berçário; materiais escritos de diversas formas; aprende-se a ler vendo
ler; aprende-se a escrever vendo escrever.
_ Natureza e Sociedade _ temas relacionados ao mundo social e natural; mitos e lendas; plantas e
animais.
_ Matemática _ seriar, classificar e conservar. O RCNEI salienta um teórico: Piaget.
_ Parâmetros Curriculares nacionais e Temas Transversais nas séries Iniciais
_ Propostas de várias áreas de conhecimento:
_ Língua Portuguesa _ Ela deve ser compreendida não somente a materiais escritos mas também, a
imagens como: obras de arte, charges, histórias em quadrinhos, letras de
músicas, etc.
_ Matemática _ resolução de problemas; brincadeiras e jogos que enfoquem a matemática.
_ Ciências Naturais _ Educação Ambiental relacionada com outras áreas de conhecimento tais como:
história, geografia.
_ História e Geografia _ retomar livros atualizados, principalmente a partir de 2001/2002, porque essas
áreas são de conhecimentos mutáveis portanto, a bibliografia deve estar ser
sempre atualizada.
_ Arte _ artes visuais, dança, música, teatro, produção cultural e apreciação estética = visita a museus,
galerias.
_ Educação Física _ esportes, jogos, ginástica; atividades ritmas e expressivas; conhecimento sobre o
corpo.
_ Temas Transversais
_ Foram estruturados cinco temas transversais relacionados a: desigualdade social, gênero, raça, etnia,
religiosidade, ética, construção de afetividade. São eles:
- Ética : seria a reflexão sobre a conduta humana.
- Meio Ambiente e Saúde: trazer pesquisas e problemáticas atuais como: pesquisas sobre células
tronco, doenças que afetam a saúde nos tempos modernos.
- Pluralidade Cultural e Orientação Sexual:
> conceitos sobre: raça, etnia, preconceito;
> relações de gênero (masculinos/feminino);
> novos conceitos como: transexualidade, multisexualidade, homosexualidade.
> DST: prevenção, conseqüências.
> convite à pessoas especializadas no assunto, para falar sobre esses temas.
_ Parâmetros Curriculares Nacionais e Temas Transversais: tecendo críticas
_ Quem participou e foi consultado sobre esses PCNs e TT?
_Como trabalhar os Temas Transversais nos dias atuais se, até um tempo atrás, eles foram tão criticados?
_ “A escola socialmente onipotente e que fracassa na sua missão educativa devido, exclusivamente, aos
seus problemas internos”. (Luiz Antonio Cunha)
_ Há outros problemas mais graves nos PCNs que diz respeito a algumas linguagens utilizadas.
_ Os PCNs e TT não vão de encontro, nem ao que o aluno está vendo, nem ao que está ouvindo no dia a
dia.
_ Valores culturais que buscam ser perpassados de uma forma a continuar, assim, as desigualdades
sociais inclusive, no ser professor e sua valorização hoje.

Organização do Trabalho Pedagógico
Aula 17 – Tecnologias da Informação e Práticas Educativas
Resumo elaborado por Nanci Fachini
_ Tecnologias da informação e práticas educativas
_ “A internet é um espaço de comunicação surrealista, do qual nada e excluído (...) já que é possível,
ela manifesta a conexão do homem com a sua própria essência, que é a aspiração à liberdade”.
(Pierre Lévy).
_ Modernidade
_ Max Weber salienta que a modernidade seria uma racionalização da vida humana, iniciada à partir
do século XVII.
_ Ela estrutura conceitos como: criança, infância, família, desenvolvimento.
_ Ela racionaliza algumas questões relacionadas ao sujeito.
_ Ela cria o sujeito dito consumidor relacionado a vestuário, compras e outras áreas como busca de
Conhecimento.
_ A critica a modernidade é ela colocar todos os sujeitos em um mesmo padrão.
_ As tecnologias da informação começam a se processar à partir da modernidade porém, a grande
estruturação seria na pós-modernidade.
_ Pós-modernidade
_ Ela se estrutura à partir da segunda metade do século XX, a chamada:”fase pós-industrial”.
_ Continua com o sujeito consumidor porém, questionando-o.
_ Com a pós-modernidade, tem o surgimento da Massa mídia = TV, rádio, Internet, cinema, imprensa
Escrita, é a chamada “Era do espetáculo”, ou seja, voltada para o visual.
_ Agilidade proposta peal globalização.
_ Cibercultura
_ É entendida como uma manipulação digital da nossa sociedade, do saber e de determinadas
informações.
_ “O ciberespaço suporta tecnologias intelectuais que amplificam, exteriorizam e modificam
numerosas funções cognitivas humanas”. (Pierre Lévy)
_ Teoria histórico-cultural
_ Lev Vysgotsky (1896-1934) e seus pressupostos:
> visão centrada no desenvolvimento da linguagem.
> desenvolvimento e aprendizado estariam inter-relacionados desde o nascimento da criança.
> a mediação social se faz necessária sempre.
> o desenvolvimento cultural da criança tem seu inicio na família, inserida em determinada
comunidade escolar.
> o professor, em sala de aula, deveria partir do conhecimento que a criança possui e começar a
construir os conhecimentos científicos.
> a criança já possui a linguagem desde o seu ato de balbuciar.
> a função inicial da linguagem é comunicativa. A linguagem é antes de tudo um meio de
comunicação social, um meio de expressão e de compreensão.
> a linguagem é dividida em:
- zona de desenvolvimento real: compreendida por um saber que já construímos, ou seja, tudo
aquilo que já sabemos.
- zona de desenvolvimento proximal: está relacionada ao saber à ser construído.
_ Letramento
_ Os estudos se estruturam através das idéias de Vygotsky.
_ É utilizar-se da leitura e da escrita em vários aspectos e condições de nossa vida.
_ Para o letramento, esse ler e escrever nos modifica, nos transforma em aspectos lingüísticos, sociais,
culturais, cognitivos e outros.
_ Ele é um fenômeno plural, ou seja, se modifica através dos tempos históricos.
_ Letramento X Alfabetização
> a alfabetização é compreendida como um processo mecânico de aquisição, de leitura e de escrita.
> para o letramento, a ênfase é a interpretação.
> “Socialmente e culturalmente a pessoa letrada já não é a mesma que era quando analfabeta ou
iletrada, ela passa a ter uma outra condição social e cultural – não se trata propriamente de mudar
de nível ou de classe social, cultural, mas de mudar seu lugar social, seu modo de viver na
sociedade, sua inserção na cultura – sua relação com os outros, com o contexto, com os bens
culturais tornar-se diferente”. (Magda Soares, 1998)
_ Os espaços da escrita
_ Os espaços da escrita hoje, corresponde frente ao Web, que seriam considerados para Vygotsky,
ferramentas culturais.
_ Hoje a internet nos propicia diferentes formas de escrever e ler.
_ “Espaço de escrita na definição de Bolter (1991) é o campo físico e visual definido por uma
determinada tecnologia de escrita”.
_ Hipertexto
> Segundo Lévy (1999 p.56) é “um texto móvel, caleidoscópio, que apresenta suas facetas, gira,
dobra-se e desdobra-se à vontade frente ao leitor”.
> Possibilita uma fragmentação positiva, no sentido de procurar artigos semelhantes para definir um
texto.
> Para Lévy, a característica de um hipertexto seria, a partir de um texto esse texto multiplicar-se,
realizando-se novas pesquisas.
_ Propostas educativas: Msn, Orkut e Chats.
_ Msn _ conversar com qualquer pessoa, em qualquer lugar, em tempo real.
_ Orkut _ comunidade virtual, que congrega uma boa parte das crianças, adolescentes e adultos.
_ Chats _ salas de bate papo virtual.
_ Essas ferramentas são importantes, no sentido de possibilitar uma leitura e escrita mais dinâmica.
_ Infelizmente, em um País como o nosso, com desigualdades sociais, culturais e econômicas
significativas, sabe-se que as tecnologias de informação inexistem e são desconhecidas para vários
sujeitos de todos os estados que o compõem.
_ Sites indicados para busca de textos
_ www.scielo.br
_ www.educacaoonline.pro.br
_ www.portinari.org.br

Um comentário :

Deixe seu comentário!