Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

sábado, junho 30, 2012

EJA - Educação de Jovens e Adultos [Questões de Provas N1]

ATENÇÃO RETIRADO DO NOSSO PARCEIRO
GRUPO DE ESTUDOS GMAIL

Gostaria de chamar a tenção de todos, pois o questionário foi respondido por várias de nós.
Lembrando, cada pessoa tem o seu entendimento daquilo que leu e escreve á sua maneira! Seria bom que todos dessem uma lida e respondessem com suas palavras.


QUESTIONÁRIO 
EJA - Educação de Jovens e Adultos
 
 
1) O que a EJA (Educação de Jovens e Adultos) representa?
A Educação de Jovens e Adultos - EJA representa, hoje, uma nova probabilidade de acesso ao direito à educação sob uma nova opção legal, acompanhada de garantias legais. A Educação de Jovens e Adultos não é um presente, nem um favor, tal como antes a própria legislação ou a prática das políticas educacionais a viam. Desde a Constituição de 1988 ela se tornou um direito de todos os que não tiveram acesso à escolaridade e de todos que tiveram este ingresso, mas não puderam completá-lo.

2) Qual um dos principais objetivos da EJA?
A aceitação da EJA é de grande sucesso, pois visa escolarizar e socializar esses indivíduos que não tiveram a oportunidade de estudar e, por conseguinte, sentem-se discriminados por não saberem ler, escrever, nem calcularem.

3) Quais são as vantagens de estar sendo alfabetizado na fase adulta?
A educação é tão valiosa que é uma condição prévia a muitas outras coisas de nossa sociedade: ler livros, entender cartazes, escrever cartas, sentar-se ao computador, navegar na rede mundial de computadores, votarem com consciência, assinar o nome em registros, ler um manual de instruções, participarem mais conscientemente de associações, partidos e desenvolver o poeta, ou o músico, ou o artista que reside em cada pessoa.

4) Ao longo dos anos, como tem sido a questão da EJA no Brasil?
EJA vem ocupando um espaço reduzido no sistema educativo, estando marcada por apresentar um caráter estritamente compensatório e por constituir lugar exclusivo e reconhecido dos desprovidos de valor social.

5) Quais possibilidades que a EJA em sua composição desperta para os alunos?
Possibilidades de uma educação de jovens e adultos trabalhadores, concebida não como estratégia de compensação, reposição, suplência ou de adequação ao mercado, mas principalmente, como meio de formação ampla e integral de homens e mulheres.

6) No que se baseia a EJA?
No princípio, estabelecido pela Constituição de 1988 e em seu artigo 205: toda e qualquer educação visa o pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

7) Qual a melhor maneira de ensinar alunos na EJA?
Para trabalhar com esses estudantes, é fundamental conhecê-los bem, as classes são heterogêneas, desta forma deverá haver uma diversificação de materiais e métodos, sendo eles adequados a idade e a necessidade.

8) O que acha dos recursos que utiliza na EJA? Por quê?
EJA utiliza integralmente ou em partes, experiências da educação não-formal seguem as orientações curriculares do CNE, organizando os componentes e conteúdos em torno de eixos temáticos e tem o trabalho como eixo geral integrador desses temas. Esse material tem uma flexibilidade que possibilita a liberdade do professor preparar seu planejamento, podendo incluir textos e atividades que possam melhorar a sala de aula e a organização do processo ensino-aprendizagem.

9) Qual é a relação de aluno professor na EJA?
Uma das principais características dos alunos na EJA é que têm baixa auto-estima e acanhamento da sociedade, por não ser alfabetizado. Uma das mais importantes lições para o professor é saber que ele é quem vai descobrir que tem muito a aprender, o professor irá perceber que tem muito a descobrir. Deste modo deve informar que a educação facilita as relações pessoais e sua integração profissional de seus alunos.

10) Porque há tanta evasão nesta educação?
A evasão nesse segmento é tão alta que chega a ser encarada como natural. Os conteúdos devem ter relação com a vida dos alunos, estimulante, tem-se a obrigação de responder as necessidades e lidar com os problemas pessoais dos alunos, afinal, na maioria dos casos eles sofrem com questões familiares, profissionais, conjugais entre tantas outras. É necessário que o professor além de um mediador de informações também seja um estimulador a prática escolar.
11) Explique a responsabilidade sobre a Gestão da Educação dentro do contexto moderno a partir dos impactos e demandas econômicas, políticas e sociais, culturais e tecnológicas.
As políticas e a gestão da educação no Brasil caracteriza politicas do governo, a importância dessa disciplina é justificada pelo seu compromisso e formação do cidadão. Vários desafios são colocados para sociedade uma vez que o contexto educacional é mediado pelo contento político econômico, social e cultural. É necessária as condições da oferta de ensino de qualidade, organização do trabalho escolar compatível com os objetivos educativos da instituição, há necessidade de formação de professores que vão trabalhar com esses alunos no sentido de desenvolver a sociedade um novo cidadão mais completo e lúcido, mas em condição de atuar na sociedade contribuindo para o seu enriquecimento. São necessários mecanismos de informação e da comunicação entre todos os segmentos da escola, gestão democrática, participação de diversos grupos e pessoas nas atividades e espaços educativos.

12)-COMO A AUTORA MARIA FERNANDA REZENDE NUNES DEFINE QUE O NEOLIBERALISMO ENTRA NO CENARIO MUNDIAL?
RESP..PAG 184
entra no cenario mundial difundindo a crença no mercado o Estado mínimo  a exaltação da empresa privada e o darwinismo social, com a naturalização dos indices de desemprego. As políticas passam a se dirigir para a privatização o corte dos gastos públicos entre eles os benefícios sociais. Entretanto o desmonte do Estado do Bem-Estar Social nos países que foram efetivamente beneficiados por ele não é e nem tem sido tão fácil quanto a  formulação teórica sugere pois os trabalhadores organizados tem forças pra lutar pela garantia das suas conquistas. Ele vai entrando como “uma luva” no Brasil sendo defendidas por tendências políticas divergentes.

13)- DE ACORDO COM VALLE(2009)COMO O PENSAMENTO NEOLIBERAL EDUCACIONAL VÊ A ESCOLA?
RESP..PAG 255
Vê a escola como espaço do desenvolvimento de talentos ,hábitos de preparação para desafios conectada com a atividade geral das vidas humanas, pois a nova liberdade é a politica do conflito regulado e a economia social da maximização de oportunidades da vida intelectual 

14)-COM RELAÇÃO AO ATENDIMENTO AOS ALUNOS COM NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAS COMO DEVE SER O PROCESSO DE CONSTRUÇÃO DO P.P.P. DA ESCOLA?

RESP..PAG 150
Face aos princípios e diretrizes da educação inclusiva é possível afirmar que o Brasil ainda não reune condições de efetivar tal projeto em toda a sua dimensão. Ainda hoje o precário atendimento as necessidades escolares dos aluno brasileiro é responsável pelos elevados índices de evasão e repetência escolar.

15) O que a EJA (Educação de Jovens e Adultos) representa?
A Educação de Jovens e Adultos - EJA representa, hoje, uma nova probabilidade de acesso ao direito à educação sob uma nova opção legal, acompanhada de garantias legais. A Educação de Jovens e Adultos não é um presente, nem um favor, tal como antes a própria legislação ou a prática das políticas educacionais a viam. Desde a Constituição de 1988 ela se tornou um direito de todos os que não tiveram acesso à escolaridade e de todos que tiveram este ingresso, mas não puderam completá-lo.

16) Qual um dos principais objetivos da EJA?
A aceitação da EJA é de grande sucesso, pois visa escolarizar e socializar esses indivíduos que não tiveram a oportunidade de estudar e, por conseguinte, sentem-se discriminados por não saberem ler, escrever, nem calcularem.

17) Quais são as vantagens de estar sendo alfabetizado na fase adulta?
A educação é tão valiosa que é uma condição prévia a muitas outras coisas de nossa sociedade: ler livros, entender cartazes, escrever cartas, sentar-se ao computador, navegar na rede mundial de computadores, votarem com consciência, assinar o nome em registros, ler um manual de instruções, participarem mais conscientemente de associações, partidos e desenvolver o poeta, ou o músico, ou o artista que reside em cada pessoa.

18) Ao longo dos anos, como tem sido a questão da EJA no Brasil?
EJA vem ocupando um espaço reduzido no sistema educativo, estando marcada por apresentar um caráter estritamente compensatório e por constituir lugar exclusivo e reconhecido dos desprovidos de valor social.

19) Quais possibilidades que a EJA em sua composição desperta para os alunos?
Possibilidades de uma educação de jovens e adultos trabalhadores, concebida não como estratégia de compensação, reposição, suplência ou de adequação ao mercado, mas principalmente, como meio de formação ampla e integral de homens e mulheres.

20) No que se baseia a EJA?
No princípio, estabelecido pela Constituição de 1988 e em seu artigo 205: toda e qualquer educação visa o pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho.

21) Qual a melhor maneira de ensinar alunos na EJA?
Para trabalhar com esses estudantes, é fundamental conhecê-los bem, as classes são heterogêneas, desta forma deverá haver uma diversificação de materiais e métodos, sendo eles adequados a idade e a necessidade.

22) O que acha dos recursos que utiliza na EJA? Por quê?
EJA utiliza integralmente ou em partes, experiências da educação não-formal seguem as orientações curriculares do CNE, organizando os componentes e conteúdos em torno de eixos temáticos e tem o trabalho como eixo geral integrador desses temas. Esse material tem uma flexibilidade que possibilita a liberdade do professor preparar seu planejamento, podendo incluir textos e atividades que possam melhorar a sala de aula e a organização do processo ensino-aprendizagem.

23) Qual é a relação de aluno professor na EJA?
Uma das principais características dos alunos na EJA é que têm baixa auto-estima e acanhamento da sociedade, por não ser alfabetizado. Uma das mais importantes lições para o professor é saber que ele é quem vai descobrir que tem muito a aprender, o professor irá perceber que tem muito a descobrir. Deste modo deve informar que a educação facilita as relações pessoais e sua integração profissional de seus alunos.

24) Porque há tanta evasão nesta educação?
A evasão nesse segmento é tão alta que chega a ser encarada como natural. Os conteúdos devem ter relação com a vida dos alunos, estimulante, tem-se a obrigação de responder as necessidades e lidar com os problemas pessoais dos alunos, afinal, na maioria dos casos eles sofrem com questões familiares, profissionais, conjugais entre tantas outras. É necessário que o professor além de um mediador de informações também seja um estimulador a prática escolar.

25) Escreva sobre as construções de Magda Soares e mary Kato para a introdução do termo letramento na alfabetização e o que ele significa?
Pag 64
A palavra letramento é nova em nossa língua e surgiu com a autora Mary Kato em 1986
em seu livro “No mundo da escrita: uma perspectiva psicolingüística”, sendo em seguida usada em diversos livros, muitos de educação.
A tradução de “literacy” por letramento é atribuída a Mary Kato, em 1986.
Leda Verdiani Tfouni, em 1988 e Magda Soares, em 1998, apontam a distinção entre alfabetização e letramento.
Este trabalho discute os desafios do letramento/literacia 2 (considerados sinônimos) na educação infantil como prática social, incluindo as diversas modalidades, propostas, pesquisas e sua relevância na formação de profissionais.
Letramento/literacia como prática social
A criança torna-se letrada na atividade situada, por meio de diferentes instrumentos sociais de comunicação, como computadores, internet, telecomunicações, fax, fotocópias, televisão, dramas, filmes, teatro e arte . Os textos da vida cotidiana, como os mapas, sinais de trânsito, horários de transporte coletivo, são fundamentais para a inserção no mundo. (Os problemas de letramento/litrácea aumentam com a falta de livros, materiais, objetos de pintura, artes, brinquedos e excesso de crianças, em decorrência da falta de unidades infantis, e inadequada proporção adulta-criança, nos agrupamentos, que resultam
em baixa qualidade da educação.
Letramento é o resultado da ação de ensinar e aprender as práticas sociais de leitura e de
escrita. É o estado ou a condição que adquire um grupo social, ou um indivíduo, como
conseqüência de ter se apropriado da escrita e de suas práticas sociais. Apropriar-se da escrita é torná-la própria, ou seja, assumi-la como propriedade.
Um indivíduo alfabetizado, não é necessariamente um indivíduo letrado, pois ser letrado implica em usar socialmente a leitura e a escritura e responder às demandas sociais de leitura e de escrita.

O letramento é constituído por competências distribuídas de maneira contínua, cada ponto ao longo desse contínuo indicando diversos tipos e níveis de habilidades, capacidades e conhecimentos que podem ser aplicados a diferentes tipos de material escrito. A autora destaca que a definição de letramento e os seus critérios para avaliá-lo variam enormemente. A linha divisória para distinguir o alfabetizado, do letrado e o analfabeto do iletrado varia de sociedade para sociedade.

26)- Faça a linha do tempo da história do EJA. Inclua dados históricos e políticos da mesma época.
Década de 30
A educação de adultos começa a delimitar seu lugar na história da educação no Brasil.
Década de 40
Ampliação da educação elementar, inclusive da educação de jovens e adultos. Nesse período, a educação de adultos toma a forma de Campanha Nacional de Massa.  Fim da ditadura, Censo 1940, Criação da Unesco 1945, CEAA 1947.
Década de 50
A Campanha se extinguiu antes do final da década. As críticas eram dirigidas tanto às suas deficiências administrativas e financeiras, quanto à sua orientação pedagógica. Pensamento Paulo Freire, MCP e CPC
Década de 60
O pensamento de Paulo Freire, assim como sua proposta para a alfabetização de adultos, inspira os principais programas de alfabetização do país.
Ano de 1964
Aprovação do Plano Nacional de Alfabetização, que previa a disseminação por todo o Brasil, de programas de alfabetização orientados pela proposta de Paulo Freire. Essa proposta foi interrompida com o Golpe Militar e seus promotores foram duramente reprimidos.
Ano de 1967
O governo assume o controle dos Programas de Alfabetização de Adultos, tornando-os assistencialistas e conservadores. Nesse período lançou o MOBRAL – Movimento Brasileiro de Alfabetização.
Ano de 1969
Campanha Massiva de Alfabetização
Década de 70
O MOBRAL expandiu-se por todo o território nacional, diversificando sua atuação. Das iniciativas que derivaram desse programa, o mais importante foi o PEI – Programa de Educação Integrada , sendo uma forma condensada do antigo curso primário.
Década de 80
Emergência dos movimentos sociais e início da abertura política. Os projetos de alfabetização se desdobraram em turmas de pós-alfabetização.
Ano de 1985
Desacreditado, o MOBRAL foi extinto e seu lugar foi ocupado pela Fundação Educar, que apoiava, financeira e tecnicamente, as iniciativas do governo, das entidades civis e das empresas.
Década de 90
Com a extinção da Fundação Educar, criou-se um enorme vazio na Educação de Jovens e Adultos.
Alguns estados e municípios assumiram a responsabilidade de oferecer programas de Educação de Jovens e Adultos.
A história da Educação de Jovens e Adultos no Brasil chega à década de 90 reclamando reformulações pedagógicas. PAAB, CNA/EJA, PAS
Ano de 1990
Acontece na Tailândia/Jomtiem, a Conferência Mundial de Educação para Todos, onde foram estabelecidas diretrizes planetárias para a Educação de Crianças, Jovens e Adultos.
Ano de 1997
Realizou-se na Alemanha/Hamburgo, a V Conferência Internacional de Educação de Jovens, promovida pela UNESCO (Organização das Nações Unidas). Essa conferência representou um importante marco, a medida em que estabeleceu a vinculação da educação de adultos ao desenvolvimento sustentável e eqüitativo da humanidade.
Ano de 1998
A Lei de Diretrizes e Bases da Educação – LDB 9394/96, dedica dois artigos (arts. 37 e 38), no Capítulo da Educação Básica, Seção V, para reafirmar a obrigatoriedade e a gratuidade da oferta da educação para todos que não tiveram acesso na idade própria.
Ano de 2000 Sob a coordenação do Conselheiro Carlos Roberto Jamil Cury, é aprovado o Parecer nº 11/2000 – CEB/CNE, que trata das Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação de Jovens e Adultos. Também foi homologada a Resolução nº 01/00 – CNE.
Em Mato Grosso, foi homologada a Resolução nº 180/2000 – CEE/MT, que aprovou o Programa de EJA para as escolas do Estado, a partir de 2002 e para os demais estados.
*
27)- Pensar em EJA (Educação de Jovens e Adultos) no Brasil é voltar em termos históricos ao início de nossa colonização. Os autores do material didático priorizam esses estudos nos seguintes períodos:
a) de 1940 a 1950
b) de 1950 a 1970
c) de 1970 a 1990
d) de 1990 a 2000
e) de 2000 até nossos dias incluindo os desafios atuais
 
A)1940 A 1950
decada de 40, Ampliação da educação elementar, inclusive da educação de jovens e adultos. Nesse período, a educação de adultos toma a forma de Campanha Nacional de Massa.  Fim da ditadura, Censo 1940, Criação da Unesco 1945, CEAA 1947.
decada de 50, A Campanha se extinguiu antes do final da década. As críticas eram dirigidas tanto às suas deficiências administrativas e financeiras, quanto à sua orientação pedagógica. Pensamento Paulo Freire, MCP e CPC

B)1950 A 1970

DE 2000 ATÉ NOSSOS DIAS INCLUINDO OS DESAFIOS ATUAIS.
COMENTE O QUE FOI SIGNIFICATIVO ,NA HISTÓRIA  DA EJA ,EM SUA OPINIÃO NO ITEM ''B''
 
Ainda nos anos 50, foi realizada a Campanha Nacional de Erradicação do
Analfabetismo (CNEA), que marcou uma nova etapa nas discussões sobre a educação de
adultos. Na década de 60, com o Estado associado à Igreja Católica, novo impulso
foi dado às campanhas de alfabetização de adultos. No entanto, em 1964, com o golpe militar, todos os movimentos de alfabetização que se vinculavam à idéia de fortalecimento de uma cultura popular foram reprimidos.
década de 70, ainda sob a ditadura militar, marca o início das ações do Movimento Brasileiro de Alfabetização – o MOBRAL, que era um projeto para se acabar com o analfabetismo em apenas dez anos.

c) de 1970 a 1990
Comente o que foi significativo, na História da EJA, em sua opinião no item C
a década de 70, ainda sob a ditadura militar, marca o início das ações do Movimento Brasileiro de Alfabetização – o MOBRAL, que era um projeto para se acabar com o analfabetismo em apenas dez anos
Década de 80, Emergência dos movimentos sociais e início da abertura política. Os projetos de alfabetização se desdobraram em turmas de pós-alfabetização.
Ano de 1985, Desacreditado, o MOBRAL foi extinto e seu lugar foi ocupado pela Fundação Educar, que apoiava, financeira e tecnicamente, as iniciativas do governo, das entidades civis e das empresas.
Década de 90, Com a extinção da Fundação Educar, criou-se um enorme vazio na Educação de Jovens e Adultos.
Alguns estados e municípios assumiram a responsabilidade de oferecer programas de Educação de Jovens e Adultos.
A história da Educação de Jovens e Adultos no Brasil chega à década de 90 reclamando reformulações pedagógicas. PAAB, CNA/EJA, PAS
Ano de 1990, Acontece na Tailândia/Jomtiem, a Conferência Mundial de Educação para Todos, onde foram estabelecidas diretrizes planetárias para a Educação de Crianças, Jovens e Adultos.

d) de 1990 a 2000
Comente o que foi significativo, na História da EJA, em sua opinião no item d
Em 1990 o então eleito presidente Fernando Collor de Mello extinguiu a fundação educar, e em seu lugar não foi criada qualquer outra instituição,o que geriu uma espécie de vácuo na atuação governamental na área da EJA, ate 1997 quando no governo de Fernando Henrique Cardoso, foi implementado o programa de alfabetização solidaria. Em 2000 foi solicitado pelo conselho nacional da educação de jovens e adultos parecer esse elaborado pelo professor Carlos Roberto Jamil Cury no final do século XX. Tornou esse documento mais complexo, contendo um histórico sobre a sobre a educação de adultos no Brasil é três reparadoras, equalizadora, e qualificadora
Década de 90
A história da EJA no Brasil chega à década de 90 reclamando reformulações pedagógicas. PAAB, CNA/EJA, PAS.
Ano de 1990 Acontece na Tailândia/Jomtiem, a Conferência Mundial de Educação para Todos, onde foram estabelecidas diretrizes planetárias para a Educação de Crianças, Jovens e Adultos
1990 causam impressão de que a eja é uma realidade recente.1997 conferência internacional da Eja promovida pela UNESCO o desenvolvimento sustentável e equitativel da humanidade.  1998 LDB 9394/96 reafirma a obrigatoriedade e a gratuidade para os que não tiveram acesso na idade própria.  1999 a eja representa uma parte significativa na abertura deste novo século. Em 2000 foi solicitado pelo conselho educacional um parecer sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para a EJA, elabora pelo professor Cury. No Brasil as 3 bases legais, reparadora, equalizadora, e qualificadora.

e) de 2000 até nossos dias incluindo os desafios atuais

no cenário atual a Eja conseguiu um avanço significativo em relação a sua historia anterior. No entanto se constituem em desafios para esse campo. O avanço da expansão nas redes publicas de ensino e a conscientização dos governos municipais e estaduais sobre a importância e a necessidade de se investir na eja. A questão, encarar a eja como educação continuada para a vida toda. Necessidade de investir na formação de professores  que assumem a classe no ensino noturno a criação de mecanismo de acompanhamento e a avaliação de classes implantadas pelos governos locais ou por iniciativa do MEC através do programa Brasil Alfabetizado e Fazendo Escola.

28) Porque a Educação de Jovens e Adultos no Brasil ocupa um lugar reduzido, marginal no cenário das políticas publicas para educação?
Pela escassez dos recursos financeiros e materiais disponíveis para a área como também por praticas profundamente compensatórias, assistencialistas, aligeiradas, mecanicistas, com resultado pouco satisfatório, sem avaliação.

29) Há uma explicação para o difícil processo de legitimação do direito à educação para as populações pobres no Brasil?
O modo de tratar sujeitos analfabetos ou de baixa escolaridade como um grupo homogêneo, inadequação de currículos, conteúdos, métodos e materiais didáticos são a marca da discriminação que contribui significativamente para a manutenção das desigualdade e, consequentemente, para uma recorrente produção de excluídos.

30) Pode-se considerar o Eja como uma educação que irá suprir aquilo que ficou faltando na ausência de uma escola na idade própria, ou pela evasão?
Não, EJA deve ser tratada com valor em si mesma, considerando-se principalmente, as singularidades e propriedades dessa modalidade educacional, levando em conta as características do alunado, seus interesses, condições de vida e de trabalho.

31) Por que o EJA, no Brasil, sempre ocupou espaço reduzido no sistema educativo?
Por apresentar um caráter estritamente compensatório e por constituir lugar exclusivo e reconhecido dos desprovidos de valor social.

32) Como está a porcentagem de analfabetismo no Brasil?
O maior estado de numero de analfabetos e a Bahia, seguido de São Paulo. Mais da metade dos analfabetos encontran-se na região norte, depois vem o sudeste. A mesma taxa de analfabetismo é Distrito federal, seguido de Santa Catarina.

33) Os jovens e adultos que freqüentam o EJA tem qual objetivo em mente?
O objetivo maior é ingressar no mercado de trabalho ou garantir a permanência em seu trabalho.

34) O que a LDB determina quanto aos sistemas de ensino da EJA?
Determina que os sistemas de ensino devem viabilizar e estimular a acesso e a permanência do trabalhador na escola, mediante ações integradas e complementares entre os diversos setores das esferas publicas.

35) Qual é a dificuldade enfrentada pelo sistema de ensino?
Incorporar as contribuições que a ed. popular tem trazido para a EJA. Os projetos que contemplam tais contribuições geralmente se organizam paralelamente ás estruturas das próprias secretarias de educação e da rede escolar, ficando sujeitos á descontinuidade das gestões administrativas.

36) Porque a juventude vem sendo um dos grandes protagonistas na sala de aula?
Porque a maioria desses jovens é produto de uma escolarização sem qualidade, pois as crianças entram na escola, não aprendem, repetem ou são empurradas para as series seguintes até se evadirem. Tornam-se jovem e adultos que receberam apenas um verniz de escolarização e um acúmulo de histórias educacionais de fracasso.

37) O que aponta o art 211 da Constituição?
A necessidade de haver uma atuação solidária dos sistemas de ensino da união, dos Estados e dos municípios, os quais devem responder solidariamente à crescente demanda e estimular inovações que possibilitem a organização de estratégias afirmativas entre parceiros

38)- Lindeman realizou em 1923 um dos mais antigos estudos sobre Andragogia, estabelecendo cinco pressupostos.
Explique com suas  palavras o que é Andragogia e comente o pressuposto abaixo:
A orientação de aprendizagem do adulto esta centrada na vida......
Andragogia, é o campo da Pedagogia que se dedica ao estudo do processo de ensino e de aprendizagem do adulto. É a educação de adultos com o objetivo de diferenciar o processo educativo de crianças e adultos.
De todos os seres da natureza, o homem é o único ser consciente pelos atos que pratica e o único que tem a capacidade de aumentar seus conhecimentos por vontade própria. Por isso é o mais desenvolvido de todos.

Ele tem disposição para aprender o que dá resultados visíveis e o faz ganhar algo. Programas de educação devem levar em conta as situações de vida e não disciplinas. Respeitar isso significa maior chance de aplicabilidade das competências diante dos desafios diários

Resp : e procurando nos aproximar da realidade brasileira , podemos afirmar que quem melhor tentou construir epistemologia do conhecimento relacionada aos adultos foi , sem duvida o grande Mestre “Paulo Freire “ , a partir de um olhar atento sobre o cenário politico-educacional de sua época , um método de alfabetização que tenha o adulto como centro da discussão e, como fundamento desencadeou um processo de libertação e de conscientização dos educandos . Em uma de suas obras “ Pedagogia do Oprimido “ , ele formula a oposição entre o que chamava  de” educação Libertadora “ e “ educação bancaria “ .

38a) Linderman realizou em 1926 um dos mais antigos estudo sobre Andragogia, estabelecendo cinco pressupostos. Explique com suas palavras o que é Andragogia e comente o pressuposto abaixo dando um exemplo de aplicação:
 “A experiência é a mais rica fonte para jovens e adultos aprenderem; por isso, o centro da metodologia da educação de adultos é a análise das experiências".
Andragogia, é o campo da Pedagogia que se dedica ao estudo do processo de ensino e de aprendizagem do adulto. É a educação de adultos com o objetivo de diferenciar o processo educativo de crianças e adultos.
De todos os seres da natureza, o homem é o único ser consciente pelos atos que pratica e o único que tem a capacidade de aumentar seus conhecimentos por vontade própria. Por isso é o mais desenvolvido de todos.

Andragogia vem sendo empregada para  designar a  educação de homens e mulheres, já adultos, com o objetivo de marcar as diferenças  existente no processo educativo de crianças e adultos.
Comentando o pressuposto, os alunos de EJA, por serem jovens e adultos, não podem ser consideradas pessoas vazias do ponto de vista de aprendizagem. Eles têm uma história, uma trajetória de vida e, por isso mesmo, trazem consigo diferentes experiências, bagagens e conhecimento acumulados ao longo de sua existência, inclusive a maioria deles já teve alguma experiência com a escola, mesmo que bem rápida e a muito tempo, mas tiveram, e todas essas experiências não podem ser deixadas de lado no plano de aprendizagem, devem ser consideradas e aproveitadas em sala de aula .

38b) Linderman realizou em 1926, um dos mais antigos estudos sobre Andragogia, estabelecendo cinco pressupostos.
Explique com suas palavras o que é Andragogia e comente o pressuposto abaixo. “A orientação de aprendizagem do adulto esta centrada na vida. Por isso, as unidades apropriadas para o seu programa de aprendizagem, são as situações da vida, e não as disciplinas”
Andragogia, é o campo da Pedagogia que se dedica ao estudo do processo de ensino e de aprendizagem do adulto. É a educação de adultos com o objetivo de diferenciar o processo educativo de crianças e adultos.
De todos os seres da natureza, o homem é o único ser consciente pelos atos que pratica e o único que tem a capacidade de aumentar seus conhecimentos por vontade própria. Por isso é o mais desenvolvido de todos.

Andragogia vem sendo empregada para  designar a  educação de homens e mulheres, já adultos, com o objetivo de marcar as diferenças  existente no processo educativo de crianças e adultos.
Ele tem disposição para aprender o que dá resultados visíveis e o faz ganhar algo. Programas de educação devem levar em conta as situações de vida e não disciplinas. Respeitar isso significa maior chance de aplicabilidade das competências diante dos desafios diários

38c) Linderman realizou em 1926 um dos mais antigos estudo sobre Andragogia, estabelecendo cinco pressupostos.
Explique com suas palavras o que é Andragogia e comente o pressuposto abaixo dando um exemplo de aplicação:
"Jovens e adultos são motivados a aprender; por isso, à medida que experimentam, suas necessidades e interesses são satisfeitos. por isso, esses são os pontos mais apropriados para se iniciar a organização das atividades de aprendizagem do adulto.”
Andragogia, é o campo da Pedagogia que se dedica ao estudo do processo de ensino e de aprendizagem do adulto. É a educação de adultos com o objetivo de diferenciar o processo educativo de crianças e adultos.
De todos os seres da natureza, o homem é o único ser consciente pelos atos que pratica e o único que tem a capacidade de aumentar seus conhecimentos por vontade própria. Por isso é o mais desenvolvido de todos.

Andragogia:
E quanto ao pressuposto, os Jovens e Adultos, se interessam mais quando são utilizados exemplos de seu cotidiano nos estudos, quando ele se torna o centro da aprendizagem. Ex. de aplicação: atividades em sala de aula que utilizem seu dia a dia

38d) Lindeman realizou em 1923 um dos mais antigos estudos sobre Andragogia ,estabelecendo cinco pressupostos.Explique com suas palavras o que é Andragogia e comente o pressuposto abaixo dando um exemplo de aplicação.
    “As diferenças individuais crescem com a idade; por isso, a Educação de Jovens e Adultos deve considerar as diferenças de estilo, tempo, lugar e ritmo de aprendizagem de cada aluno.”

39) O aluno do eja possui caracteristicas proprias quais sao?
Dona de casa            Trabalhadores formais i informais- O aluno que não teve oportunidade de estudar;         É responsável, pois tem família a qual deve sustentar.    Buscam formação rápida, pois necessitam para seu crescimento no mercado de trabalho           Possui limitações, mas busca solucioná-las, pois tem muita força de vontade.             Tem consciência da necessidade de aprender         Valoriza suas conquistas estabelecendo associações por decisão própria e perseverança.    O aluno que não permaneceu no ensino regular por falta de disciplina.                       Multi-repetentes no ensino diurno, vão para a EJA para escapar dos constrangimentos.

40) escreva sobre a importancia de paulo freire na atualidade do eja e a educação como um todo?
Paulo Freire foi mais que intelectual  foi um militante político, ao colocar seus conhecimentos em pratica. Valorizando o homem do povo, aprendendo c/a vida, formando educadores  engajados e respeitadores da experiência e sabedoria popular , transformava valores, valorizava o homem e a natureza .A contribuição do pensamento freiriano é enxergar a Educação como processo que sirva de libertação e não domesticação do homem

41- Escreva sobre como deve ser a avaliação na EJA?
A avaliação na EJA deve ser orientada pelas habilidades, valores e competências, estabelecidos no plano didático. Ela vai considerar a construção do conhecimento de cada aluno. O professor deve avaliar constantemente, propiciando atividades diferenciadas como reforço ao desenvolvimento das habilidades dos alunos em defasagem. O professor não deve enfatizar apenas os erros ou os desconhecimentos dos alunos, mas levar em conta tudo o que já conseguiram aprender.
A avaliação final deve basear-se nas aprendizagens significativas que os alunos tenham tido condições de desenvolver.
É fundamental a participação dos próprios alunos na avaliação contínua de sua aprendizagem. Essa modalidade de avaliação permite organizar e reorganizar quando necessário, o percurso do ensino e da aprendizagem

42)- Como é o aluno do EJA?
pag 34
Em uma tentativa de cauterização ampla podemos que os alunos do EJA representam uma grande parcela da população brasileira que não teve acesso ao direito básico constitucional de freqüentar a escola no tempo previsto em lei (6 a 24 anos). De acordo com o censo de 2000 esse publico abrange mais de 70 milhões de pessoas com mais de 15 anos que ainda não concluíram o ensino Fundamental.

43)- Escreva sobre a importância de Paulo Freire na atualidade da EJA e a educação como um todo.
Paulo Freire como intelectual organico e, mais do que isso, como militante politico, ao colocar seus conhecimentos em pratica, valorizando o homem do povo, aprendendo com a vida, formandoeducadores engajados e respeitadores da experiencia e da sabedoria popular, tranformava valores, atacava o sistema de acesso a cargos e posições sociais, o autoritarismo e a hierarquização nas relaçoes. Revoltava-se contra o poder constituido, do fascinio capitalista, valorizando o homem e a natureza.

44)- Elabore uma lista sobre as características  do aluno da EJA.
Dona de casa
Trabalhadores formais i informais
O aluno que não teve oportunidade de estudar;
 Buscam formação rápida, pois necessitam para seu crescimento no mercado de trabalho
 É responsável, pois tem família a qual deve sustentar.
 Possui limitações, mas busca solucioná-las, pois tem muita força de vontade.
 Tem consciência da necessidade de aprender
 Valoriza suas conquistas estabelecendo associações por decisão própria e perseverança.
 O aluno que não permaneceu no ensino regular por falta de disciplina.
 Multi-repetentes no ensino diurno, vão para a EJA para escapar dos constrangimentos.

45)- Qual é o perfil do aluno do EJA?
Quem não teve oportunidade de estudar na idade apropriada, por motivos variados, (desde o abandono da escola, por causa do trabalho, antes de terminar a Educação Básica ou porque não tinha escola na região onde morava). Desde os que não sabem ler e escrever que querem ser alfabetizados e os que já possuem essas habilidades mas desejam adquirir o diploma e outros saberes para se sentirem mais cidadãos e participativos.

46)- Escreva sobre a importância do planejamento didático
A importância  do planejamento é para fugir da rotina, da repetição mecânica dos cursos e das aulas; Para evitar a improvisação o que pode provocar ações soltas, desintegradas
É um processo que “visa dar respostas a um problema, estabelecendo fins e meios que apontem para a sua superação de modo a atingir objetivos previstos, pensando e prevendo necessariamente o futuro”, mas considerando as condições do presente, as experiências do passado, os aspectos contextuais e os pressupostos filosóficos, culturais, econômicos e político de quem planeja e com quem se planeja.
Para  garantir: a eficiência, eficácia e efetividade do processo ensino-aprendizagem; a continuidade do trabalho do professor; o cumprimento da programação estabelecida; a distribuição racional do tempo disponível; a seleção cuidadosa dos objetivos, dos conteúdos, assim como de metodologia, recursos e procedimentos de avaliação; o conhecimento por parte dos alunos, das metas do trabalho do professor.

47)- Escreva sobre o trabalho com projetos na EJA.
O que é? Como deve ser o trabalho? O que significa um bom projeto? Especifique suas partes.
PG 81
?? Preparar um projeto requer a integração de múltiplos recursos, conhecimento e estratégias. O projeto parte de uma situação-problema, de uma necessidade, tem o objetivo compartilhado com todos os envolvidos e prevê um produto final, predefinido e compartilhado com os participantes.  Todo projeto necessita de uma metodologia e a metodologia de projetos está relacionada a uma visão interdisciplinar dos saberes, pelo fato dela estar centrada na resolução de problemas da vida prática. Deve-se ter em mente que um projeto deve estar embasado em problemas da vida cotidiana para que a fatia de realidade recortada para o estudo seja inteiramente analisada, desmistificada e conhecida por todos os envolvidos. Além disso, deve-se ter me mente que o conhecimento advindo desse processo, resultado de uma metodologia de integração e superposição de saberes, possa proporcionar um novo jeito de ser e de sentir, trazer uma nova luz, que reflita uma nova forma de “estar no mundo”, processo este que nos exige sabedoria para bem conviver conosco e com o que nos rodeia. Entre outras coisas, um bom projeto tem um objetivo claro e uma justificativa coerente com o mesmo, o educando conhece o assunto e sabe o que os alunos conhecem e desconhecem do mesmo, o conteúdo do projeto é significativo em si e  para os alunos, os alunos compartilham o objetivo do projeto, o tema e os desdobramentos do projeto estão incluídos em práticas sociais, de modo a sempre transcender os muros da escola e o produto final do projeto torna visíveis os processos de aprendizagem e conteúdo apreendidos.

48) Como é composto os alunos do eja.
Os alunos do EJA são jovens e adultos que representam uma parcela grande da população, que não teve acesso ao seu direito de estudar no tempo previsto em Lei, de 6 a 14 anos. Estava conversando com a Sandra e com a Adriana, segue o que elas concluiram sem resumir...O público da EJA é composto, como o nome mesmo já diz, de pessoas  jovens e adultas, e isso significa que, do ponto de vista da aprendizagem, elas 
não podem ser consideradas pessoas vazias. Elas têm uma história, uma trajetó-ria de vida e, por isso mesmo, trazem consigo diferentes experiências, bagagens  e conhecimentos acumulados ao longo de sua existência. 
A inserção em diferentes espaços, como família, trabalho, grupo religioso,  entre outros, vai dando a esses jovens e adultos uma visão muito particular de  mundo, de valores, vai formando sua personalidade. Além disso, no contexto da sala de aula, é impossível dissociar a vida pessoal de cada um: seus sonhos e frus-trações, conquistas e decepções, memórias, alegrias e traumas construídos ao 
longo de sua trajetória de vida.

49) Como Fáveo e Andrade definem a Política Pública da Educação de Jovens e adultos no Brasil?
 Resposta: A Educação de Jovens e Adultos (EJA),no Brasil,sempre ocupou espaço reduzido nos sistemas
educativos,com um caráter estritamente compensatório e quase exclusivo dos desprovidos de valor social.
Os currículos,conteúdos,métodos e materiais didáticos utilizados na EDUCAÇÂO DE JOVENS E ADULTOS
geralmente reproduzem inadequadamente os modelos voltados ás crianças.
A origem dos problemas está na não-universalização do Ensino fundamental e no afastamento do  poder
público no que se refere á definição e implementação de políticas públicas que garantam o atendimento de jovens e adultos trabalhadores. As ações definidas para a EJA configuram-se como campanhas ou movimentos,em geral
desenvolvidos a partir do governo, com envolvimento de organizações da sociedade civil para a realização
de propostas de eliminação do analfabetismo ou de formação de mão-de-obra, em curtos espaços de tempo.Essas
políticas não têm atingido as causas do problema, perdem-se na descontinuidade administrativa e são associadas
ao ensino noturno supletivo que absorve jovens e adultos que  não conseguiram concluir o ensino básico na idade regular

50) De acordo com Simons (1979) em Valle, quando a escola assumirá sua função libertadora?
 Resposta:  Por meio do diálogo entre educador e seus educandos,dos educandos entre si, e todos
com as realidades naturais e culturais da comunidade,as populações  caminharão para o
autogoverno e para a participação dos homens na construção da  vida coletiva.

51) Explique o que vem a ser o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB).
  Resposta: O IDEB é um indicador da qualidade educacional, que combina o Saeb, a Prova Brasil e a taxa
de aprovação de cada escola e de cada município, considerada com o tempó médio que o
aluno leva para concluir uma série. Foi criado com o propósito de nortear as políticas
educacionais do país, a fim de melhorar a qualidade do processo ensino-aprendizagem.
este índice analisa, no mesmo indicador, o desempenho dos alunos nas avaliações
aplicadas pelo MEC nas redes públicas de todo o país e as taxas de evasão e repetência
destas mesmas escolas

52) A inclusão de alunos com necessidades especiais é contemplada pelas Políticas Pública Brasileira. Descreva como surgiu o conceito de Educação Inclusiva.

53) COM A PROMULGAÇÃO DA LDB 9394/96 COMO ESTÁ ORGANIZADA A EDUCAÇÃO BÁSICA NO BRASIL?
RESP..PAG 51
 RESPOSTA: ..(PÁGINA   51).....NOMENCLATURA ADOTADA PARA  IDENTIFICAR A NOVA CPMPOSIÇÃO
DOS NÍVEIS ESCOLARAES, QUE NÃO MAIS PRIVILEGIA O ENSINOO COMEÇANDO AOS SETE ANOS MAS
RECONHECENDO O DIREITO DA CRIANÇA DE O Á 6 ANOS CONFORME ARTIDO 21: A EDUCAÇÃO ESCOLAR COMPÕEM-SE DE: educação básica formada pela educação infantil, ensino fundamental, e ensino
médio.
EDUCAÇÃO INFANTIL- CRECHES (0 A 3 ANOS ) E PRÉ -ESCOAS (DE 4 E 5 ANOS)-GRATUITO.
ENSINO FUNDAMENTAL-ANOS INICIAIS ( DO 1º  AO 5º ANO) E ANOS FINAIS ( DO 6º AO 9º ANO)
É OBRIGATÓRIO E GRATUITO.
ENSINO MÉDIO-................................( SEGUE ATÉ..................
EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS-ATENDE AS PESSOAS QUE NÃO TIVERAM ACESSO A EDUCAÇÃO.
EDUCAÇÃO INDÍGENA- ATENDE AS COMUNIDADES INDÍGENAS,DE FORMA   A RESPEITAR A CULTURA
E LÍNGUA MATERNA DE CADA TRIBO. (FIM).

54) A atividade de Paulo Freire 
pg 47

55) Discussão de aulas com projetos em EJA 

56) Experiências em EJA no BRASIL.  ?????
 Na apostila de EJA, a partir da página 155, só fala do Programa de Alfabetização solidária, já na apostila de Políticas Públicas em Educação, cita:
Programa Brasil Alfabetizado, Movimento de Alfabetização (MOVA), Programa de Alfabetização Solidária (PAS) e Programa Integrar.

57) A organização do espaço na Educação Infantil é fundamental para que as propostas pedagógicas atinjam seus objetivos. Os aspectos que condicionam os educadores na sua tomada de decisão para essa organização são classificados em elementos contextuais e pessoais. Eles são distribuídos assim:
-Elementos contextuais: o ambiente, a escola e a sala de aula.
-Elementos pessoais: as crianças e os professores.
a) Escreva sobre o elemento pessoal "Crianças".
b) Escreva sobre o elemento pessoal "Professor".
c) Escreva sobre o elemento contextual "ambiente".
d) Escreva sobre o elemento contextual "escola".
e) Escreva sobre o elemento contextual "sala de aula".

quarta-feira, junho 27, 2012

Avaliação e Curriculo [Aula 10]


Aula 10 - Politicas de Curriculço e Avaliação

Prova N2


POLÍTICAS PÚBLICAS EM EDUCAÇÃO

1. Leia abaixo:



·                                 O Exame Nacional de Cursos (ENC) foi aplicado até 2003 aos concluintes dos cursos de Ensino Superior, sendo bastante criticado pela sociedade por sua função classificatória. A partir de 2004, ele foi substituído pelo

·                                  Saeb.
·                                  Enade.
·                                  Paiub.
·                                  Sinaes.

2. A repetência, a evasão, a qualidade do trabalho docente e outros fatores têm sido apontados, em diferentes estudos, como responsáveis


·                                  pela falta de recursos pedagógicos nas salas de aula.
·                                  pela situação degradante do ensino em todos os níveis.
·                                  pelas políticas de educação mal implementadas.
·                                  pela desvalorização salarial dos professores.

3. As escolas públicas ou privadas que não privilegiam a qualidade e a formação do cidadão apresentam


·                                  uma prática que imprime a lei do Estado mínimo.
·                                  uma prática comprometida com o currículo de base comum nacional.
·                                  o pensar e fazer compatíveis com a unidade de prática e teoria.
·                                  uma prática em consonância com a comunidade escolar.